Traduzir

domingo, 25 de novembro de 2012

Sebos



Você já entrou em um sebo?
Gosta de ver livros antigos? Mesmo que eles estejam cobertos de pó e que possa existir algumas pequenas aranhas escondidas por entre as páginas, ou até mesmo papéis velhos de recados dos antigos donos no meio deles? Mesmo que você tenha alergia e espirre algumas vezes enquanto vasculha pelas prateleiras? Eu adoro, sou completamente apaixonada por livros velhos, e sim, eu espirro as vezes, e minha mão fica suja por passear por todas as prateleiras folheando as páginas amareladas e empoeiradas. Você pode estar pensando que é exagero, mas até hoje só conheci um sebo em que os livros estavam limpinhos, todos os outros que fui eles estavam com muito pó, assim como o resto das coisas pela loja. Isso não me incomoda nem um pouco, acho que faz parte da magia dos sebos, eles devem ter pó, faz parte.
Entrar em um sebo é como entrar em outro mundo, de uma época bem distante, ainda mais aquelas em que o dono é um senhor ou senhora bem velhinhos que escutam músicas antigas em suas vitrolas o tempo todo, é totalmente mágico, realmente é como entrar em outro universo, e pra mim não tem sensação melhor que essa.
A felicidade maior é encontrar aquele livro que você tanto gosta, mas em umas de suas primeiras edições, e mesmo que ele se parta ao meio quando você começar a lê-lo, não faz diferença, pois você o tem nas mãos.
Eu adoro sebos, adoro o cheiro, o lugar, as prateleiras, os livros com folhas amareladas pelo tempo, algumas capas até nos primeiros passos da decomposição, adoro até o pó que me faz espirrar.
E você gosta de entrar nesse mundo onde se encontra livros velhos e perdidos? 

12 comentários:

  1. Oi Camila ;)
    Eu adoro sebos! Apesar de nunca ter comprado nada pra mim por lá...(não por falta de vontade, mas pq as vezes que fui foram pra comprar presentes)
    Mas concordo com vc sobre a magia que sentimos dentro de um, eu posso passar horas olhando as prateleiras empoeiradas, que te fazem espirrar e deixam nossas mãos sujas... Essa coisas fazem parte do clima do local!
    Adorei seu posty! E adorei o blog tbm, já estou seguindo! Volte sempre lá no blog ok? Se quiser seguir lá tbm vou ficar feliz ;)

    Tem resenha nova lá no blog, quer ler?
    Desde já obrigada!

    Fallen In Me
    - PatyScarcella

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é, sebos sempre fazem com que eu me sinta melhor.

      Eu podia jurar que já estava seguindo seu blog, mas não tem problema, vou seguir agora.
      Ah, adoro suas resenhas.

      Obrigada pela visita.

      Beijão :)

      Eliminar
  2. Adoro dar uma vasculhada em sebos, mas hoje em dia os preços dos livros neles estão tão perto dos livros novos e comprados em lojas online que dá desgosto.. só dá pra pechinchar mesmo com livros antigos e que quase ninguem procura...

    Bjokas
    Flavia - Livros e Chocolate

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aqui na minha cidade eles não estão tão caros assim não, os livros antigos então... Saem quase de graça. kkkk

      Obrigada pelo comentário

      Beijos :)

      Eliminar
  3. Oi, Camila.

    Meu nariz coçou só em ler a sua postagem. rsrs... Eu gosto de sebos sim. Sempre passava numa loja dessas quando voltava das aulas práticas da faculdade que ocorriam à tarde, os funcionários amavam conversar comigo pelo fato de eu ser escritora e de estudar francês. Hahaha! O atendente sempre tinha alguma pergunta a me fazer. rsrs... Mas nunca comprei livros velhos, prefiro os novinhos. Mesmo assim, estou muito querendo comprar um que não é mais impresso - "Os Implacáveis" de Harold Robbins.

    Beijos,

    Isie Fernandes - de Dai para Isie

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também gosto de livros novinhos, mas adoro coisas velhas, incluindo os livros,é claro.
      Não sei, mas acho legal a ideia de que ele já tenha sido de outra pessoa, e quando ele é beeem velho, fico pensando em quantas mãos já passou, quantas pessoas já o leram, acho interessante. kkkkk

      Beijão :)

      Eliminar
  4. Sim, é interessante. Eu sou do tipo que escreve nos livros também, escrevi o parágrafo final de um dos meus romances num livro - a inspiração veio e eu não pude desperdiçá-la. Uma amiga leu um dos meus livros - Uma Proposta Irrecusável, Jill Mansell - e disse que dava mil gargalhadas com meus comentários ao longo dos capítulos. rsrs... Isso é bom! =)

    PS. Você tem Facebook? Se sim, me adicione lá - facebook.com/IsieFernandes.

    Beijos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Haha, quando a inspiração surge não tem como não anotar mesmo. Eu iria adorar encontrar anotações, rascunhos, ou o que for em algum livro velho, mas até hoje isso não aconteceu. kkkk

      Não tenho Facebook. :(

      Beijão

      Eliminar
  5. Os sebos possuem ares com uma magia incrível!

    Você já abriu um livro da década de trinta ou vinte? É uma sensação surreal! Livros velhos exalam um perfume instigante! rsrsrs

    Podem chamar a minha pessoa de retrô, mas os livros impressos, para mim, nunca serão substituídos por e-books... Tocar, folhear... isso é incomparável!

    Todavia, compreendo e aceito, claro, as questões econômicas e ambientais que envolvem a adoção, cada vez maior, dos livros eletrônicos...

    Beijo grande!

    ResponderEliminar
  6. Gaijin,
    Pelo que me lembro, nunca segurei um livro tão velho assim, mas eu adoro.
    Amo tudo que seja retrô, não apenas livros, mas roupas, móveis, fotos, tudo.
    Também acho que livros impressos serão pra sempre os melhores, mas o número de e-books está crescendo. Eu não acho a ideia ruim, gosto de e-books também, mas não existe nada melhor do que segurar o livro nas mãos...
    Obrigada por comentar em meu blog.

    Bjo :)

    ResponderEliminar
  7. Sebo é uma coisa mágica. Aqui em Itajaí só tem um, o Casa Aberta, que eu não cheguei a conhecer o dono, mas o povo que trabalha lá entende tanto de literatura que dá pra passar horas conversando e trocando sugestões.
    Além do preço, já comprei um livro raro chinês de 1930, traduzido pelo Monteiro Lobato, em capa dura, por 10 reais. E tava em perfeitas condições. E outro do Knut Hassum, traduzido pelo Carlos Drummond de Andrade, de 1920, mas com cara de 1980, na mesma faixa.
    Agora quanto a e-books, os ambientalistas que me perdoem, mas não consigo. Tenho a necessidade patológica de virar páginas.

    ResponderEliminar
  8. Raphael,
    Sim, sebos são demais, já comprei um livro de umas das primeiras edições de Viagem ao Centro da Terra por 4 reais. kkkk
    Também prefiro livros físicos, mas gosto de e-books, na verdade eu gosto mesmo é de histórias, então não me importo muito com a forma que irei
    lê-la, pode ser livro, e-books ou em guardanapos de papel. kkkkk

    ResponderEliminar

Adoraria saber o que você está achando do blog, e da postagem...