Traduzir

terça-feira, 25 de dezembro de 2012

As Vantagens de ser Invisível - Filme



Não achei o filme assim tão diferente do livro, como algumas pessoas disseram. Houve algumas coisas diferentes, mas nada muito drástico e que vá mudar todo o sentido que o livro teve. Pensei que iria gostar mais do filme, mas a verdade é que estou tendo a mesma sensação de quando li o livro, não exatamente a mesma sensação, pois não estou me sentindo tão vazia agora, mas mesmo assim, não foi nada surpreendente.
Eu não sei como explicar, mas não consigo ver uma história acontecendo, eu sei que tem todo esse lado dramático e tudo mais, mas é tão sem graça.
Ok, um ponto positivo que posso dizer é que Charlie do filme não chora horrores como o Charlie do livro, ainda bem, pois não sei se aguentaria outra enxurrada de lágrimas. Outro ponto é que os atores são adoráveis, cada um deles, sem contar que adoro Emma Watson, Logan Lerman e Nina Dobrev, então não foi tão ruim assim.
Eu sei que muitas pessoas amaram tanto o filme quanto o livro, e que muitas pessoas disseram coisas lindas sobre os dois, mas por mais que eu tente, e eu tentei, eu não consigo gostar, não consigo ver coisas boas assim, e nem sentir nada do tipo, pra mim é só um monte de besteira, choradeira, e bla bla bla. Desculpe se você não concordar, não estou tentando desmerecer nada e nem ninguém, mas não consigo achar uma maneira de isso ser algo bom, e não entendo como tanta gente gosta.
Ah, mas não posso deixar de dizer que adorei a frase sobre o infinito, pois acho que é uma boa forma de se expressar em momentos incríveis quando nada é bom o suficiente para dizer o quanto você se sente feliz e completo, acho que a melhor forma de mostrar isso é dizendo o quanto você se sente infinito... 

4 comentários:

  1. Valeu mais essa dica, Camila!
    Olha... Já li o primeiro capítulo do teu livro. Depois que tiver lido os quatro, comento, tá? Bjs!
    GK

    ResponderEliminar
  2. Oi, Camila.

    Li outra resenha sobre esse filme, mas a blogueira não contou nada sobre a história, só ficou dizendo que a trama é para cérebros inteligentes e blá-blá-blá. Ou seja, continuo inerte quanto à história. kkk...

    Acho que a maior sensação que o homem tem é a de eternidade. É sempre o outro que morre, né? Coisa para se pensar.

    PS. Fiz uma postagem lá no blog, mas ainda não é a sua resenha. Pesquisei uns escritos meus lá no fórum e resolvi postar sobre sonhos. Assim que eu escrever mesmo a sua resenha, te envio por e-mail. ;)

    Beijos,

    Isie Fernandes - de Dai para Isie

    ResponderEliminar
  3. Oi, Isie

    É claro que Charlie é um menino muito inteligente, isso fica bem claro tanto no livro quanto no filme, mas não acho que isso seja algo para cérebros inteligentes, acho que é mais pra gente depressiva. kkkkkk
    Ok, o filme não é tão depressivo assim, até que é mais "animadinho" em alguns pontos, mas...
    Ah, gosto é gosto, né? Tem gente pra tudo nesse mundo. kkkkk

    Tudo bem sobre a resenha, nem precisa ter pressa. Depois passo em seu blog pra conferir, pois vou dormir agora, estou morta..

    Beijão :)

    ResponderEliminar

Adoraria saber o que você está achando do blog, e da postagem...