Traduzir

terça-feira, 5 de março de 2013

Belo Desastre



Eu já conhecia o livro, mas só fui ficar louca pra ler depois de ver uma incrível resenha no blog da Isie Fernades, de Dai pra Isie.
Eu gostei do livro, não posso negar, dei risada, fiquei tensa, chorei, morri de raiva e senti milhares de outras sensações, isso foi o que mais gostei no livro, ele me fez sentir de diversas formas, me fez amar alguns personagens em uns momentos, mas em outros eu os odiava com todas as minhas forças.
Bem, o livro conta a história de Abby e Travis, ela parece uma garota certinha, que usa roupas comportadas e brincos de pérolas e ele o bad boy, todo tatuado, cabeça raspada, músculos por todas as partes, sem dizer que participa de umas lutas ilegais que acontecem nos porões das faculdades. O nome desse cara na hora das lutas é nada mais nada menos que, “Cachorro Louco”. Kkkkkk
A verdade é que Abby não é tão certinha quanto parece e Travis não é tão assustador quanto parece. Não, na verdade ele é sim, ele é bem assustador e amedrontador também, não conheço nem um homem que não sinta medo dele e que não fique tremendo quando seus olhos assassinos os fitam de relance.
Eu gostei do livro, muito, é verdade, mas não sei, algo não ficou muito certo pra mim. Quer saber o motivo? É que não pude deixar de notar a semelhança entre Christian Gray e Travis e de Anastasia e Abby, sinto muito, mas foi isso que senti. É claro que Travis é mil vezes melhor que Gray, não somente por nunca ter levantado um dedo se quer pra Abby e sentir horror a qualquer coisa que pudesse machucá-la, mas também por ser muito mais adorável e carinhoso, ao modo dele, é claro. Mas eles se parecem em alguns aspectos, como o fato de serem SUFOCANTES, totalmente exagerados, protetores ao extremo, chatos quando pensam que sua amada pode deixá-los e com mudanças rápidas de humor.
Travis tem seus problemas, ele é esquentado demais,SUFOCANTE, fica enfurecido em menos de um segundo, perde a cabeça e arrebenta a cara de qualquer um sem nem pensar duas vezes. Sim, ele é muito agressivo e isso me irritou um pouco, o cigarro também, ele fuma igual um louco e o fato de Abby dizer que gosta do cheiro de cigarro misturado ao da colônia que ele usa não ajudou muito, quem gosta de cheiro de cigarro? Tirando as pessoas que fumam, ninguém suporta cheiro de cigarro...
Ele também é um perfeito cafajeste, mas daqueles com força mesmo, do tipo que briga com sua garota e sai com outra na mesma noite. Teve uma cena em que ele fez sexo com duas garotas e se certificou que Abby escutasse todos os sons e gemidos, mas no outro dia se arrependeu e foi comprar várias coisas que Abby gosta, incluindo um secador novo e a espuma rosa que ela gosta de usar pra se depilar... Vai pro quinto dos infernos com esse secador e espuma rosa, meu filho. Não consegui esquecer esse fato durante todo o livro e confesso sem vergonha alguma que tive algumas lágrimas nos olhos enquanto lia essa parte, pois fiquei me colocando no lugar de Abby. É lógico que eu nunca faria o que ela fez em seguida, pois sou orgulhosa e não sou tonta, sem dizer que não sou feita de ferro e meu sangue não é de barata. Nossa, fiquei nervosa, mas acho que isso é uma característica básica de Trevis, deixar as mulheres nervosas, mesmo aquelas que ele nem ao menos conhece.
Bem, a história gira em torno deles e de seus amigos, Travis, o garanhão se encontra domado e apaixonado por essa garota e ela mesmo com seus segredos se encontra na mesma situação que ele.
Gostei da melhor amiga de Abby, seu nome é America, isso mesmo, ela é meio doidinha e dramática, mas é uma boa amiga, sem dizer que namora o primo de Travis que é um completo fofo.
O livro é bom, principalmente por todas essas emoções que nos faz sentir, mas assim como Isie Fernandes, também senti uma divisão na história e acho que seria melhor se tivesse sido dividido em dois volumes, a separação dos fatos se mostra claramente e quando você ler, irá perceber logo de cara.
Eu posso dizer que gosto de Abby, apesar de suas escolhas tontas e de ficar fazendo papel de piriguete se dividindo entre dois homens, mesmo não estando de verdade com nenhum deles. Travis é... Complicado, essa é a melhor palavra pra se usar, ele é meio louco também, tem sérios problemas, esse lado sem noção e doentio dele que me fez ficar em cima do muro, algumas vezes ele é um doce, mas em outras é um pirado, do tipo que joga mesas, quebra coisas e ataca pessoas por motivos banais, como sua namorada ter atrasado cinco minutos pra te ligar.  Várias vezes senti vontade de agarrá-lo pelos ombros e gritar: “Vai se tratar, seu doente!”.
Por fim, eu recomendo o livro, pois no final das contas eu gostei, ele mexeu comigo de algumas formas, me fez sentir várias coisas diferentes, desde raiva suprema até oh! Que fofura. Se você não curte casais problemáticos, amigos doidos, caras malucos que quebram a cara dos outros, cenas bonitinhas de amor, indecisões e escolhas erradas, provavelmente não irá gostar de Belo Desastre, mas então eu te digo, vale a pena ler, quer apostar?


PS - Ah, esqueci de dizer que existem algumas cenas quentes, algumas partes mais sensuais, elas existem e eu as acho muito mais românticas do que hot, muito embora elas sejam. É isso então, acho que já falei demais, é isso que dá fazer resenha logo em seguida de ler o livro, sentimentos borbulhando a flor da pele, a gente fala demais e não é muito coerente, mas gosto de resenhar logo em seguida, acho que fica com um ar de “isso é muito verdadeiro”...

8 comentários:

  1. Nossa, Camila, você devorou Belo Desastre!

    Eu não conto muita coisa em minhas resenhas, pois não gosto de soltar spoilers, mas cheguei a escrever que uma das coisas que me desagradou foi o Travis ter ficado tão ciumento - depois pensei melhor e apaguei.

    Quanto à cena do Travis com as mulheres, sem dúvida, ele foi um completo cafajeste. Tenho a dizer em defesa dele que a Abby o esnobou demais, quando ela nem era tudo o que parecia. Então, apesar de achar que ele errou terrivelmente, a Abby mereceu. E ela era tão idiótica às vezes...

    Por que será que ninguém quer falar do Parker? kkkkk...

    Beijos,

    Isie Fernandes - de Dai para Isie

    ResponderEliminar
  2. Isie,

    sim, devorei, culpa de sua ótima resenha. kkkkkk
    não sei dizer se sempre conto coisas da história, acho que isso acontece mais quando resenho logo em seguida, pois ainda estou com muita emoção do que li. kkkkk
    coitada da Ebby, Isie kkkkk, fiquei com tanta dó dela nessa cena, minha vontade era de dar na cara dele. kkkkkkkk
    Mas ela foi muito tonta sim, em muitas vezes.


    Nossa, o Parker... Nem me lembrei desse coitado na hora de fazer a resenha. kkkkkkkkkkkkkk
    Se fosse pra falar dele, eu iria dizer que foi um bobo que entrou no meio da história tentando atenção de Abby, mas que nunca a conseguiu de verdade, serviu só pra passar ciumes em Travis e deixar Abby ainda mais confusa, achando que ele poderia ser o certo, quando ele nunca foi...


    Beijão :)

    ResponderEliminar
  3. Até hoje só li boas resenhas sobre esse livro, deve ser muito bom lê-lo, já o adicionei na minha lista, mas tenho muitos para ler ainda, minha lista é grande. rs
    Mas quero lê-lo sim.

    Boa resenha. Beijos

    ResponderEliminar
  4. Realmente parece ser um bom livro. Quero ler agora, fiquei super interessada.
    Ótima resenha. ^^

    Ah, passando pra avisar que você ganhou um selinho, entra nesse link para saber mais e cumpra as regrinhas: http://distantedoquesou.blogspot.com.br/2013/03/primeiro-selinho-do-blog.html

    Você merece. Adoro seu blog e suas resenhas Camila.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  5. Dani,

    caso você leia me conte, irei adorar saber o que achou...

    Beijão :)

    ResponderEliminar
  6. Aline,

    que bom que gostou!
    E muito obrigada por me indicar, adorei!

    Grande beijo :)

    ResponderEliminar
  7. Oi Caila, então eu li. Quando eu peguei esse livro para ler, estava na dúvida. De um lado minhas amigas dizendo q o livro era maravilhoso e de outro, o medo de encontrar cenas eróticas e desgastantes (q graças não encontrei). Então comecei a ler e pensei em desistir nas primeiras páginas. O Travis nem de longe é o homem lindo q eu esperava (tatuado, fumante), mas quando o conheci ( Copie isso para mim. Isso vai ser importante na minha entrevista) ele se tornou meu amigo e não podia deixá-lo esquecido nas páginas. E depois teve a Aby e ela é terrivelmente irritante de tão real. (pelo menos para mim, ela é completamente real). Mas quis deixar a leitura de lado um milhão de vezes por causa dela. O Travis, eu juro q não consegui entender onde ele é doido, psicopata, ou ciumento ou protetor exagerado. Sério, achei ele normal ( de uma forma agradável, mas normal). Os homens em geral tendem a serem protetores demais. Homens entendam, nós mulheres somos mais fortes do q vcs pensam. Quem trouxe vc ao mundo foi uma mulher, então podemos ser fortes ok. Mas não achei ele doido e nem nada. E sobre a fama dele. Bem , também não vi nada errado. Ele era solteiro e fazia o que ele queria. Não vi desvios de personalidade algum ali. O Parker, bem ele é o tipo de cara comum, mas vamos ser sinceros q na vida real, as chances de a Aby ficar com ele eram muito maiores. Mas como é um livro, nada mais justo q ela ficar com o Madox. Ah, o fato da Aby ser virgem me incomodou (como se virgindade fosse afrodisíaco e o homem só se apaixonasse por mulheres virgens), mas a autora soube tirar de letra e não criou uma virgem santa maria, ao contrário. Mas acho que a história seria mais legal ainda se Aby tivesse transado com Travis desde o começo e ela não quisesse ele e tal. Acho q isso quebraria alguns tabus. Também não achei o passado de Aby terrível. Acho q ela fez muito mais drama do q tinha. (po passado ruim era se tu fosse pobre, tivesse sido estrupada, fosse prostituta, essas coisas), então esse drama td me incomodou muito. O fato de ajudar o pai também, mas deixa q morra o desgraçado. A América e Shep, gostei deles, mas eles não precisavam viver o romance em função do namoro dos protagonistas. Outra coisa q me desagradou foi o incendio. Meu deus, se meu amor está lá no incendio, só saio do lado dele. Como assim a Aby fugiu com o Trent? Outro detalhe, a Aby deve ter engravidado. Narrar sexo sem camisinha é uma coisa q me incomoda muito. Ainda mais levando em conta a tabelinha. Acho q ela deveria ter engravidado para ensinar aos leitores q deu sem se cuidar,, nenem sabe 9 meses depois.
    Enfim agora vc pergunta, ok Gisa, gostou ou não?
    Gostei muito. É um livro que eu indico muito. Mas não lerei as continuações. O livro mexeu muito comigo, chorei igual a um bebe com as declarações de amor do Travis (mas isso só por causa do meu filtro literário), mas é uma ótima história. Dá pra ler muito rápido e a leitura é muito leve. A história é perfeita entende? (nada real, mas linda. )
    Lembrando q a minha opinião leva em conta as minhas experiencias pessoais, ninguém consegue ser um leitor imparcial. Quando abrimos o livro, levamos nossas dores, amores, decepções e experiencias para dentro da página.

    Aqui, só fazendo uma ressalva, falta um triangulo amoroso verdadeiro na literatura. Algo não previsível. Algo em que o coração de uma pessoa realmente esteja divido em dois. E não onde é claro com quem cada um ficará.

    Sério, achei o Travis normal demais até. kkkk. mas para vc ter uma ideia , meu mocinho favorito é Heatcliffe de O Morro dos Ventos Uivantes. então ja viu neh? kkk
    Beijoos
    http://profissao-escritor.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hahaha Adorei ver seu ponto de vista.
      É disso que mais gosto, ver a opinião das pessoas e a sua foi muito interessante.
      Eu gosto do livro tbm, mas acho o Travis muito doido. hahhaa Sei lá, talvez por eu ser acostumada com meu marido que apesar de ser tatuado e lutar, é super tranquilo. kkkk


      Beijão

      Eliminar

Adoraria saber o que você está achando do blog, e da postagem...