Traduzir

quarta-feira, 27 de março de 2013

Por Isso a Gente Acabou


Antes de mais nada, acho que vale a pena contar toda a história sobre esse livro, talvez não faça nenhuma diferença pra você, o que é bem provável, mas pra mim fez. Vamos lá, tudo começou quando vi a resenha em vídeo do Cabine Literáia, já gostei do livro logo de cara, a capa era linda e com aquele toque jovem, colorida, bilhetes, palavras escritas a mão e ainda por cima, de um escritor que embora nunca tenha lido nada do que escreveu, já vi muita gente de confiança elogiar e também já vi o filme Desventuras em Série que foi baseado em um de seus livros. Enfim, adorei o livro, a resenha que vi no Cabine e fiquei muito curiosa pra ler. Não comprei o livro de cara, mas ele ficou na minha cabeça.
Alguns dias depois, muitos dias depois, comprei um Kobo (logo postarei algo por aqui falando sobre meu precioso), pra quem não sabe, Kobo é um leitor de ebook, nele você pode baixar alguns capítulos grátis de livros, pra ver se gosta, caso a resposta seja sim, você compra o livro. Pois bem, num certo dia cheguei em casa depois da faculdade, acho que o relógio marcava 23:10, ou algo assim, fiz minha rotina antes de dormir, tirei a maquiagem, fiz chá, coloquei Dudu na cama, troquei de roupa, escovei os dentes e fui me deitar com o Kobo nas mãos, eu sempre leio antes de dormir. Comecei a olhar os livros, pra ver qual iria querer ler, foi então que vi “Por Isso a Gente Acabou” e aquela vontade de ler o livro voltou correndo pra mim. Tratei logo de apertar o botão “Amostra Grátis” (acho que é isso que está escrito no botão, não me lembro), então li as primeiras páginas, eu li, gente eu li e fiquei desesperada, pois eu precisava daquele livro, eu necessitava. Esse negócio de ler as primeiras páginas é uma armadilha, você está lá, lendo, viciada e então aparece um recado, “para continuar lendo, compre o livro” e você não tem escolha, você compra o livro. Não foi bem isso que aconteceu comigo, pois eu não me lembrava dos números do cartão de créditos e o cara que dorme ao meu lado na cama, o que certamente poderia me socorrer, estava completamente adormecido, daquela forma que dá até pena de acordar e é claro que eu não o acordei, pois o cara que dorme ao meu lado na cama acorda cedo para trabalhar e acordá-lo no meio da noite pra falar sobre números e cartões de créditos não me pareceu uma boa. É claro que fui ver na carteira, mas eu não sabia qual era o cartão certo, palmas pra mim.
Enfim, tive que esperar até o bendito dia seguinte para finalmente comprar o maldito livro dos meus sonhos. Foi isso que fiz, comprei e li em uma única noite, feliz da vida, viciada e totalmente alheia ao mundo que me rodeia, que se dane o mundo, o livro foi MUITO BOM!
Ok, falei demais, chega de falar disso e de como sofri pra conseguir esse livro e vamos logo para o que interessa.


“Por Isso a Gente Acabou” é um livro ma-ra-vi-lho-so, ele é feito em forma de carta, sim, não “cartas” é carta mesmo, pois é uma única carta, a que Min escreve para Ed, seu antigo namorado, ela escreve essa carta e deixa junto com uma caixa azul na porta da casa do garoto, juntamente com todas as coisas que vieram do namoro dos dois, ou coisas bobas que a lembram dele ou do tempo que passaram juntos.
Cada coisa da caixa tem uma explicação para estar sendo devolvida, cada coisa, uma história, cada história um significado para Min, cada coisa dizendo um motivo por eles terem terminado.
Ed diz que Min é uma garota “diferente” ou “das artes”, mas ela sempre diz que não é nada disso, eu até concordo com ela, pois Min é só uma garota legal que adoro filmes, principalmente os antigos.
Ela é divertida, não faz o tipo bobinha, chatinha e que faz tudo pelo cara que ama, mesmo que ela tenha feito isso em vários momentos, mas isso é outra história, ela deixou bem claro o motivo por ter feito e depois sentiu raiva por ter feito, o que já ajuda muito, em minha opinião. Eu não a culpo, pois quem nunca fez algo que não gosta pra agradar a pessoa que ama? Como ver um jogo de basquete, sendo que você odeia basquete, ou tentar ir num lugar, mesmo que você deteste o lugar. Amar tem dessas coisas, a gente tem que ceder, as vezes.
Bem, Min conhece Ed numa festa, que ele não foi convidado, mas ele é Ed, o cocapitão do tipo de basquete, o cara popular, lindo e cheiroso, ele tem permissão pra ir em festas que não foi convidado. Eles se dão muito bem logo de cara e resolvem sair, vão ao cinema ver um dos filmes velhos da Min, depois disso eles nãos se separam mais e tudo parece ir perfeitamente bem.
Ed é aquele cara lindo, alto, encantador, aquele que sempre sabe o que dizer, sabe aquelas pessoas que exalam charme pelos poros? Aquelas que te fazem adorá-la mesmo quando está morrendo de ódio? Ed é exatamente esse cara. E ele não é somente o atleta fortão, ele também é uma fera na matemática, é inteligente, engraçado, bem, vamos ser sinceras, ele me conquistou legal, fiquei perdida. Ele foi romântico, fez as coisas certas, ok, ele errou em alguns pontos, mas qual é, todo mundo erra. Ele foi carinhoso, ligava pra Min todos os dias, fazia as coisas que ela pedia, até as que ele achava gay, mas ele fazia, soube ser fofo, sexy, “suspiros”, ele foi demais, ele conseguiu fazer com que ela se sentisse amada e que quem estivesse lendo o livro se sentisse amada também, ou sentindo o amor dele por ela, não sei explicar.
Ele disse que a amava, disse que era especial, ele estava apaixonado, até os amigos deles diziam isso.
Você fica lendo e se perguntando o que de tão errado ele fez pra eles não estarem mais juntos e ela estar entregando essa caixa cheia de lembranças lindas, algumas tristes, mas a maioria linda. Você não entende o que de tão errado ele pode ter feito.
Ed é o tipo de cara que te faz subir até as nuvens, te deixa vendo flores onde não existe, te faz ver luzinhas brilhantes e sons de sinos se batendo, quando nem é época de natal, mas no final das contas você fica nervosa, triste e se perguntando que tipo de nome é esse. Ed, quem se chama Ed? Ted até seria aceitável, mas Ed? Que tipo de nome é esse afinal?
Ed, quem se importa com ele? Eu não. Ok, é mentira, eu me importo, pronto, falei.
A verdade é que fiquei chocada, pois esperava um final muito diferente do que encontrei. Não foi ruim, eu AMEI o livro, AMEI, e digo outra vez, eu AMEI!
A história te deixa tão presa, você não consegue parar de ler, precisa saber o que acontecerá depois, qual o próximo objeto, precisa saber, simplesmente precisa.
Você ri, dá muita risada, sente vontade de chorar, fica indignada e tantas outras sensações que só lendo pra entender. Foi um dos melhores livros que li esse ano, talvez o melhor do ano, ainda não me decidi ao certo, mas está na minha lista dos que ficam dentro do coração.
Eu só queria ter tido mais, o final poderia ter se prolongado por apenas mais um capítulo, pois eu queria ter visto a cara de Ed no final das contas, mas me contentei com o final que tive.
Leia, é tudo o que lhe digo, leia e depois me conte o que achou...

PS -1- Ed, você mereceu cada palavra e cada tralha que lhe foi deixada. Ah, e eu te odeio, não importa quantas coisas lindas e momentos de tirar o fôlego você tenha me proporcionado. E é com as palavras de Min que termino com você, seu cavalo...

PS -2- Ah, o livro é todo ilustrado, lindão! 

6 comentários:

  1. Que lindo!
    Quero ler muito em breve!
    Beijos
    Rizia - Livroterapias
    http://livroterapias.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  2. Oi,

    Espero que você goste tanto quanto eu!

    Beijão :)

    ResponderEliminar
  3. Hahaha! Ainda bem que você não acordou o cara que dorme ao seu lado. Tadinho...

    Eu já tinha lido outras resenhas sobre esse livro. Gostei das sensações e da frase final. É bom mesmo cortar relações com homens que, na verdade, são cavalos. rsrs...

    Beijos,

    Isie Fernandes - de Dai para Isie

    ResponderEliminar
  4. Isie,

    o cara ficou agradecido. kkkkk
    Kkkkk A garota na verdade fez esse comentário sobre outro rapaz, mas pra mim caiu perfeitamente bem para Ed. kkkkk

    O livro é muito bom, gostei muito!

    Beijão :)

    ResponderEliminar
  5. Oiaaa Cahh amo seu blog e as resenhas que voce faz dos livros.
    Gosto de livros mais eu tenho uma preguiça tao grande de ler que vc nao tem noção, então o livre tem que ser "O" livro p eu me interessar, pareço criança,tem q ter figuras hahahahaha.
    Ano que vem vou começar a praticar mais a leitura, acredito que leitura enriquece muito a gente, por isso queria pedir se voce poderia quando tiver um tempinho, fazer um post, sobre livros legais para eu poder comprar, que nao seja tao massante, e que tenha figuras kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk,fico aguardando cah bjinhos
    Candie

    ResponderEliminar
  6. Oi, Candie,

    que bom saber que gosta das resenhas, me deixa feliz!
    Só ano que vem? Comece agora mesmo. kkkkkk
    Acho que você só precisa achar um estilo que goste mais, então te garanto que não terá preguiça.


    Olha, esse livro que falei ai em cima possui muitas figuras, paginas inteiras de figuras e como viu na resenha, é um livro encantador.
    Eu poderia te indicar vários livros legais, mas a maioria não possui figuras, na verdade nem consigo me lembrar de algum que tenha, talvez alguma coisinha ou outra no início dos capítulos, mas é só.
    Os livros normalmente não tem figuras, mas se for parar pra pensar, é uma coisa boa, pois você fica livre pra imaginar as coisas exatamente da forma que quer...

    Mas, sim, eu farei um post de livros legais!

    Beijão :)

    ResponderEliminar

Adoraria saber o que você está achando do blog, e da postagem...