Traduzir

sexta-feira, 31 de maio de 2013

Sociedade Secreta: Rosa & Túmulo


Primeira coisa que tenho que dizer é que esse livro é demais, mas não somente esse livro sozinho, a série toda é demais. São quatro livros e você precisar ler todos eles pra ficar com aquela sensação boa de quando terminamos uma série ótima. Ok, mas essa resenha é sobre o primeiro livro, por isso vamos falar apenas dele, por enquanto.
Esse livro conta a vida de Amy Haske, uma garota universitária muito divertida e sarcástica. A personalidade forte de Amy me conquistou logo de cara, mesmo ela não sendo meu tipo preferida de garota, pois ela sai com muitos caras, dorme com vários e faz muitas coisas que eu não gosto, confesso que muitas coisas que ela fez me irritaram, mas mesmo assim eu consegui me apaixonar por ela, pois apesar de tudo isso que falei, ela é uma garota incrível, inteligente e esforçada.
Bem, Amy está crente que vai ser convidada para a sociedade Pena &Tinta, pois ela é a editora do jornal da escola, ou seja, essa sociedade é a sua cara, mas não é bem isso que acontece. Amy não é convidada para Pena & Tinta, muito diferente disso, agora ela entra para Sociedade Secreta Rosa & Túmulo, que é uma das sociedades mais cobiçadas e importantes, sem dizer que essa é a primeira vez que estão aceitando garotas. Agora Amy se tornou uma coveira e tudo na sua vida vira de cabeça pra baixo, tudo muda.
Ela passa por muitas coisas, uma dela é enfrentar os chefões da sociedade, pois muitos estão discordando dessa integração das mulheres, a maioria quer que o time volte ao que era antigamente, sendo comandado apenas por homens. Machistas demais, não?
Tenho que dizer que não achei os segredos da sociedade lá essas coisas e nem sei muito bem o motivo por ela ser assim tão importante, o que eu sei é que todo mundo diz que é, então ela é e pronto, entendeu?
Já disse que adorei o livro, né? Os personagens são encantadores e te cativam de uma forma muito interessante, como por exemplo, Brandon, que não é muito alto, nem tão popular, mas é um doce de pessoa. Ele é o “quase” namorado de Amy, eles saem algumas vezes, mas ela não quer nada sério, Amy não é uma garota de compromissos amorosos, sacou?.
Tem também o Poe (suspiros), ele é chato, machista, faz coisas erradas e pode parecer um cara tão egoísta as vezes, mas não se engane, ele é muito mais do que aparenta ser.
A narrativa do livro é leve e bem humorada e o fato da história se passar dentro de uma universidade faz as coisas serem muito mais divertidas, ao menos pra mim.
Esse é o livro da série que menos gostei, mas só descobri isso depois de ter lido os quatro, pois a história só vai melhorando e mudando de nível.
Mas por fim, eu adorei, adorei, adorei, é uma de minhas séries favoritas de “não ficção”. Indico de olhos fechados, pode confiar em mim.
Então não espere mais nem um segundo e vá ler esse livro e depois volte aqui e me diga o que achou, ok? 

PS- Não gosto dessa capa e de nenhuma dessa série... 

quarta-feira, 29 de maio de 2013

Resultado Sorteio: Entre Amigas

Olá, pessoal,

hoje estou aqui, junto com Isie Fernades (de Dai para Isie), para dizer o resultado do sorteio Entre Amigas. Então vamos logo ao que interessa, o ganhador é:


Parabéns, Dom Dom!


Já foi verificado e Dom Dom cumpriu todas as regras obrigatórias do sorteio, até mesmo a entrada extra. Agora você terá três dias para responder o e-mail de Isie, enviando seus dados, para que possa receber os livros.
Parabéns! Isie e eu ficamos muito felizes por você! 



Agradeço a todos que participaram do sorteio, muito obrigada! 
Ah, não esqueçam de participar da Promoção de Dia das Mães que está acontecendo no blog da Isie...

Até a próxima. :) 

sábado, 25 de maio de 2013

Os quatorze passaram




Hoje eu estava nervosa, estava nervosa por ainda não saber a nota que tirei numa prova super ferrada que fiz na quinta-feira, eu estava tão nervosa, fico muito agitada, as vezes meu estomago até começa a doer quando fico assim. A cabeça começa a doer, fico enjoada, parece que quando fico nervosa assim todo tipo de doença resolve me dar olá. Então por algum motivo desconhecido me lembrei de uma música, uma música que não escutava há muito tempo, então a coloquei pra tocar e aumentei o som no último. As letras foram passando por minha cabeça e eu me senti novamente com quatorze anos de idade, que provavelmente devia ser a idade que tinha quando a escutava.
De volta aos quatorze, quando tudo parece ser o que não é ou muito maior do que é. As coisas são tão diferentes nessa idade ou talvez nós que mudamos demais e já não podemos ver as coisas como eram, talvez sejam apenas coisa de gente que ainda tenha seus quatorze anos.
Festas bizarras que pareciam ser tão importantes, alisar o cabelo, pois todo mundo estava alisando, tentar ficar acordada a noite toda em festas do pijama e nunca conseguir, sair pra tomar sorvete e dividir com suas amigas, beber do mesmo copo, usar o mesmo batom que trezentas meninas já usaram antes de você, pintar as unhas, uma de cada cor, pensar naquele garoto que senta perto de você ou na sala ao lado o ano todo pra depois descobrir que ele é um bundão e esperar que ele seja eternamente infeliz com aquela garota que nem ao menos é bonita. São tantas coisas, tantas lembranças que podemos resgatar dos quatorze anos.
Onde foram parar meus antigos diários? Qual é, toda menina teve ao menos um diário na vida.
Um dia a gente cresce, a gente sempre tem que crescer, então podemos olhar as coisas com olhos diferentes. Agora você entende o sufoco de seus pais no final do mês quando estavam cheios de contas pra pagar, pois agora essas contas são suas. Ficar acordado até tarde na frente do computador é muito pior agora, pois seu problema não é mais uma simples aula de física pela manhã.
Olhando pra trás a gente consegue ver quantas tempestades em copo d’água foram feitas, mas naquela época pareciam tão importantes. Você promete que Será amiga de seus amigos para sempre, que nunca irão se separar, que só irá trabalhar com aquilo que gosta de fazer e planeja como será seu primeiro apartamento, mas nem sempre é isso que acontece.
Mudei de casa, de cidade, os amigos, aqueles das promessas, foram todos embora, eu fui embora também, o apartamento aconteceu, mas não da forma que tinha imaginado naquela época, pois um sofá branco com almofadas rosa não me pareceu uma boa, branco suja demais. Por falar em rosa, minha cor favorita deixou de ser essa há muito tempo, antes tudo pra minha tinha que ser rosa e hoje consigo contar nos dedos quantas peças de roupa tenho dessa cor no armário.
Pensei muito sobre essa época e de como tudo parecia maior, tudo era sonhos e fantasias salpicadas com risadas, chocolate e conversas de MSN sobre por quem sua melhor amiga está apaixonada.
Muita coisa boa foi perdida daquele tempo, muita coisa em mim mudou e não estou falando sobre cores favoritas ou amigos e promessas, estou falando sobre algo dentro de mim, acho que deve acontecer com todo mundo, crescer é assim.
Mas muita coisa boa aconteceu também, por exemplo, amar, que antes era tão doloroso, difícil, com dramas e lágrimas desnecessárias, agora se tornou tão fácil, amar hoje é fácil e simples, pois ele faz as coisas serem assim. O amor é fácil, pode acreditar em mim, você descobre isso quando a pessoa certa aparece. E esse negócio de que pessoa certa não existe é besteira total, existe sim, eu encontrei a minha e sei que você que ainda não encontrou irá encontrar. O problema não é que a pessoa certa não exista, ela existe, mas nem sempre ela será a certa para sempre, algumas vezes isso muda no meio do caminho, o cara certo passa a ser o cara errado e isso não significa que ele não tenha sido certo antes, ele foi, mas agora não é mais. Beleza, bola pra frente, não existe uma só pessoa certa pra você.
Muitas coisas mudam depois que você não tem mais quatorze anos de idade, algumas você irá sentir muita falta e irá gostar de ficar relembrando, outras irá dar graças por terem passado e enterrará no fundo de uma gaveta, trancará e jogará a chave fora, pra nunca mais ser aberta novamente, mas é disso que lembranças são feitas, é disso que você é feita.
Os quatorze anos nunca mais irão voltar, mas hoje posso dizer que estou alegre com isso, hoje estou muito diferente do que imaginava ser naquela época, mas nunca estive tão certa de que é essa mulher de agora que quero ser. Aquela imagem que tinha de mim mesma naquela idade, de quando a gente é mais nova e fica se imaginando mais velha, estou bem longe de ser como havia imaginado aos quatorze anos, mas não poderia estar mais feliz por isso ter acontecido.
Bem, depois de passar um tempo escutando a música e pensando, o nervosismo passou. 


Ah, se quer saber qual foi a música, foi essa aqui:

quinta-feira, 23 de maio de 2013

O que eu gosto de vestir?

Olá, meus queridões e queridonas,

hoje estou fazendo um post bem diferente, a querida leitora chamada Daiane, perguntou se eu poderia fazer um post sobre o que eu gosto de vestir, então aqui estou para responder sua pergunta.
Confesso que não foi muito fácil fazer isso, pois eu definitivamente não sirvo para esse negócio de outfit do dia, pois eu me esqueço de tirar as fotos, esqueço completamente. Deixei de tirar muitas fotos essa semana, só quando estava deitada na cama é que me lembrava que tinha esquecido da foto, a maioria das que irão ver foram tiradas na minha volta para casa.
Enfim, eu não tenho nenhum estilo definido, pois gosto de todos eles, TODOS, tudo depende do dia e do meu humor. Acho que ninguém precisa ficar preso em uma única coisa, faça suas misturas, mude, fique diferente e não se importe com o que os outros pensam. 
Esse provavelmente será o primeiro e último post sobre esse assunto, pois como disse, sou uma negação pra lembrar de tirar as benditas fotos, mas é isso, espero que gostem...


Eu adoro cores, na maioria das vezes estou usando coisas coloridas e não é moda Restart, uso cores muito antes desses meninos ficarem famosos, então nem vem... 













Sou apaixonada por saias, uso muito mais do que calças. Mesmo que esteja frio, é só por uma meia grossa e tudo fica  resolvido.













Depois tive que colocar uma jaqueta, pois esfriou.
 E tirei a foto no banheiro da faculdade mesmo, enquanto esperava a moleza da Carol. Pois é, não sirvo pra tirar fotos desse tipo, meus cenários são inspiradores, não? 













Essa sou eu, indo pra faculdade numa sexta-feira para uma palestra sobre motivação. Veja o quão motivada eu estava... :)















É isso, eu disse que tinha esquecido de tirar as fotos, mas acho que dá pra ter uma noção de como é ou de como eu me visto. Não fico horas decidindo qual roupa irei usar, eu normalmente abro o armário, que está sempre uma completa zona e decido naquele minuto que o irei vestir, muito simples.
Estou com um pouco de remorso por ter feito um post com poucas fotos, quem sabe eu não faça outro mais completo em outro dia... Quem sabe.

Até a próxima. :)

quinta-feira, 16 de maio de 2013

Água para Elefantes - Livro



Fiquei completamente apaixonada por Jacob Jankowski, gosto do jovem Jacob, mas gosto muito mais dele quando está velhinho no asilo, ele é tão engraçado e tão simpático que duvido que você não consiga se apaixonar também.
Água para Elefantes é um livro mágico, não digo isso apenas por a história se passar dentro de um circo, mas por todo o resto, pelos personagens, falas, cenas, tudo muito... Mágico.
Jacob é um jovem ruivo e bonito que vive uma vida muito boa, até o dia que seus pais morrem e ele descobre que as coisas não eram assim tão boas quanto pareciam. Eles estavam com muitas dívidas e prestes a perder a casa, então Jacob, sem família, dinheiro ou lugar pra ficar, resolve fugir, e pula no vagão do primeiro trem que encontra. Foi loucura, mas ele estava desolado e sem nada.
Depois ele descobre que o trem que entrou, pertence ao  circo dos irmãos Benzini, o maior espetáculo da terra, segundo eles. 
Jacob, mesmo não tendo terminado sua faculdade de veterinária, faltando apenas a última prova, é admitido no circo, para cuidar dos animais. Lá, ele irá conhecer Marlena, a moça bonita que faz a apresentação com cavalos, mas ela é casada com um cara que também trabalha no circo e tem muita influencia por lá. Marlena é encantadora e Jacob logo se apaixona, quem não se apaixonaria? O que mais gosto dela é a bondade que tem com os animais, principalmente com seus cavalos, ela ama o que faz. da mesma forma que Jacob, não poderia existir um emprego melhor pra ele, esse cara adora cuidar dos animais, você consegue sentir a felicidade que ele sente por fazer isso.
Outra pessoinha que ele conhece e não poderia nunca me esquecer dela, é a elefanta Rosie, que todos dizem que é mais estúpida do que uma porta. Estúpida ou não, ela é um amor e um dos vários motivos que me fizeram amar o livro.
Jacob cria uma relação muito grande de afeto com Rosie, uma relação que ele leva para o resto da vida.
Nesse livro iremos desvendar muito podres que aconteciam nos circos e que provavelmente ainda devem acontecer em alguns, pois nem tudo é magia, luzes brilhando e risadas, os circos daquela época escondiam muitas dores e tristezas dentro de suas lonas.
Os personagens são todos cativantes, todos te prendem de alguma maneira e você não os esquece, nem mesmo depois que o livro termina. Li Água para Elefantes há um bom tempo e ainda lembro de todos e adoro cada momento.
É uma história que te faz rir, chorar, sentir-se emocionado, com raiva, triste, milhares de sensações, sem contar que nos apresenta um mundo totalmente novo e fantástico.
Já disse lá em cima que gosto mais do Jacob velhinho, pois ele nessa idade é mais divertido, acho que os anos nos circos e na vida que teve o fizeram assim, muito embora ele seja ranzinza ao extremo, tudo ao mesmo tempo. Na verdade, ele não é engraçado de propósito, é só algo que não pode evitar, suas falas são sempre incríveis e a forma como conta sua vida é de tirar suspiros. Eu amo esse cara!
Li que Sara Gruen passou muito tempo pesquisando, viajando de circo em circo para poder construir sua história, acho que a pesquisa dela foi muito boa, pois o resultado final ficou incrível.
É um livro que recomendo de olhos fechados, para homens, mulheres e adolescentes, não importa seu tipo preferido de livro.
Então leia, mesmo se já tiver visto o filme, leia, pois mesmo o filme tendo sido bem fiel, não se compara a leitura prazerosa que Sara e Jacob irão te proporcionar... 

sábado, 11 de maio de 2013

Dezesseis Luas - Filme


Para ver a resenha que fiz do livro que deu origem ao filme, clique AQUI.


Pra quem ainda não conhece a história, irei fazer um resumo básico. Ethan é o garoto alto, bonito, gentil, e atlético que vive numa cidade muito pequena. Lena é a garota misteriosa sobrinha do cara que mora na mansão assombrada, que acaba de se mudar para a cidade minúscula de Ethan. Ela gosta dela logo de cara e descobre coisas estranhas sobre ela e sua família. Lena não é uma pessoa normal, é mais como um tipo de bruxa, ela logo completará dezesseis anos e nesse dia ela será invocada para a luz ou para as trevas, o problema é que ela não pode saber pra que lado será invocada. Pronto, isso é basicamente o que você precisa saber pra ficar inteirado sobre o assunto.
Agora vamos ao que eu achei:
Quantos filmes mais serão necessários para que eu me sinta satisfeita? Realizada? Feliz com o final? Completa? Quantos filmes mais terei que ver para que isso possa acontecer?
Fiquei muito tempo esperando pra ver Dezesseis Luas, então quando finalmente pude assistir, não foi nem um pouco do que eu estava esperando. Sabe quando o filme começa a te irritar e você não vê a hora que ele termine? Foi exatamente assim que me senti.
O livro não é um dos melhores, mas eu até que gostei, mas o filme foi muito pior do que o livro, pior em conteúdo e na fidelidade dos fatos. Muita coisa foi mudada, coisas que poderiam ter feito muita diferença. Personagens importantes nem ao menos apareceram e outros foram deixados de lado e esquecidos. Coisas que foram extremamente exploradas e importantes no livro, não apareceram no filme e as que apareceram foram feitas em partes muito pequenas e sem detalhes ou importância.
Confesso que fiquei decepcionada pra caramba, ainda mais com o final, que final ruim, além de ser totalmente diferente do que temos no livro. Pra mim o amor de Ethan e Lena é muito mais puro, intenso e bonito no livro, Ethan é um completo fofo nas páginas, mas na telinha as coisas não são assim. O amor deles me pareceu superficial e sem profundidade, e onde foram parar as cenas fofas que adorei quando estava lendo? Onde está o vestido prata de Lena? Aquele vestido feito com um tecido brilhante e fino, que Ethan imagina ter sido feito por aranhas mágicas. O primo que faz ilusões de cobras, a amiga da mãe de Ethan que fica na biblioteca, a priminha fofa de Lena. Onde foi parar tudo isso? Fatos, coisas e personagens totalmente relevantes e importantes pra história, como puderam deixar todas essas coisas de lado?
Pois é, como podem ver muitas perguntas estão rodeando minha cabeça e meu sentimento nesse momento não é dos melhores. Frustrada! É dessa forma que me sinto.
Ah, eu já ia me esquecendo, se não bastasse tudo isso que já mencionei, em minha opinião, quem não leu o livro ficará um pouco perdido assistindo o filme, foi a impressão que tive, as coisas ficaram muito bagunçadas e jogadas, tudo de qualquer jeito.
Não é o pior filme que vi, mas está muito longe de ser um dos melhores, também não sei qual será a reação de alguém que não leu o livro, quando assistir, mas pra quem leu, não espere grande coisa, pois você não encontrará.  

segunda-feira, 6 de maio de 2013

Maquiagem





Estou aqui mais uma vez pra fazer um post diferente, hoje vou falar um pouquinho mais sobre quem sou eu, na verdade eu sou muitas coisas e tenho pavor de ser apenas uma, ou de não conseguir ser tudo que quero, mas até agora tudo tem dado muito certo.
Eu sou maquiadora também, fazia um bom tempo que não trabalhava com isso, mas agora estou de volta, o que me deixa extremamente feliz, pois maquiagem é uma das coisas que mais faz meus olhinhos brilharem na vida.
Muita gente pensa que maquiagem serve apenas pra deixar as pessoas bonitas, mas pra mim maquiagem é muito mais do que beleza, pra mim maquiagem é sobre sentir-se bem, ter rostos diferentes todos os dias, mostrar-se bem para os outros, divertir-se, sonhar, experimentar coisas novas, ser quem você estiver com vontade de ser naquele dia, mostrar seu humor e muitas outras coisas.


Vocês já devem ter escutado muito aquela bendita frase de que maquiagem faz milagres, muita gente fala isso e sempre que escuto fico com uma coceira no fundo da garganta pra dizer o que penso, pois a verdade é que maquiagem não faz milagre nenhum, isso é um tremendo engano, pois maquiagem apenas melhora o que você já é, ela só irá destacar seus pontos belos para que fiquem ainda mais belos do que já são. Todos nós somos bonitos da forma que somos, podemos apenar melhorar o que já temos. É claro que toda mulher fica mais bonita maquiada, isso não significa que ela não era assim antes, apenas que ficou “melhorada”. Você já é linda, vamos por um pouco de cor no seu rosto e deixá-la belíssima.

Todo mundo gosta de se sentir bonito, não é? Nada me dá mais alegria do que fazer gente se sentir mais bonita do que é. Ver o sorriso no rosto da cliente quando o serviço está completo é algo incrível, pois muitas vezes, infelizmente, a pessoa não sabe o quanto é magnífica e eu consigo mostrar isso pra ela.

Adoro trabalhar com isso, me sinto realizada, é como estar em um mundo onde tudo é belo. Um salão de beleza pode ser mais mágico do que um circo e tão divertido e empolgante quanto, acredite em mim.
Fiz esse post pra dizer sobre esse lado Camila de ser e pra dizer que muitos outros vídeos como esse irão surgir em meu canal do Youtube, não sei se postarei todos aqui no blog, pois pode ficar muito bagunçado, mas quem sabe, ainda não me decidi sobre isso, talvez eu coloque só os vídeos especiais, vamos ver.

Esse blog foi criado inicialmente pra falar sobre histórias e resenhas, mas nem só de livros vive o homem... 



quarta-feira, 1 de maio de 2013

The cleverness of me

Antes de mais nada, se você ainda não viu o post sobre minhas outras tatuagens e quiser dar uma olhadinha, é só clicar aqui.



Já faz um bom tempo que quero fazer uma tatuagem nova, queria escrever uma de minhas citações favoritas de algum personagem favorito, o problema é que nunca me decidia, são tantas frases de tantos personagens e livros que adoro.
Quase escrevi a frase de Star Wars “May the force be with you”, mas não foi dessa vez, fica pra próxima. Talvez eu escreva essa até o final do ano, vamos ver.
Hoje escrevi minha frase predileta de Peter Pan “ The cleverness of me”, que significa “Que esperteza a minha”. Peter diz essa frase muitas vezes durante o livro e eu adoro, toda vez que ele diz, eu dou risada.

Eu queria mesmo era tatuar o desenho de Peter e as crianças voando em direção a Terra do Nunca, mas o desenho era grande demais pra mim, não tanto pelo tamanho, mas pela coragem de aguentar a dor por todo o tempo que levaria para desenhá-lo. Nunca chorei fazendo tatuagem, mas confesso que reclamo pra caramba, porém posso dizer que essa foi a tattoo que menos reclamei.
Fazer uma tatuagem pra mim é algo muito simples, pois essa é uma das vantagens de se morar com um tatuador ou pode ser uma das muitas desgraças de se morar com um, tudo depende do ponto de vista.
Veja bem, quando o tatuador mora ao seu lado a coisa toda é muito rápida e prática. Não importa a hora do dia, da noite ou até da madrugada, tudo que você precisa dizer é:
--“oh, quero fazer uma tattoo nova”. - E então o bendito tatuador responde:
-- “Beleza, onde você vai querer?”
Viu? Tudo muito simples. Você não passa por todo aquele processo que se tem quando vai fazer uma tattoo em um estúdio, pois quando vamos em algum lugar para sermos tatuados, precisamos pensar no desenho que iremos fazer, no tamanho da tattoo, cores, um lugar e um tatuador de confiança, averiguar o preço e tomar coragem pra fazer o desenho. Todo esse processo pode levar dias, semanas, meses e até mesmo anos, pode acreditar, mas nada disso acontece quando se mora com o tatuador.
Antes que me perguntem, sim, tatuagem dói muito, mas isso depende muito da pessoa. Algumas fazem numa boa, sem nem ao menos uma careta no rosto, outras choram litros e algumas apenas gritam e reclamam, como eu. Também depende muito do lugar, quanto mais “carne” o lugar tiver, menos dor você irá sentir e quanto mais ossos no lugar, mais dor.
Já pensei que deveria ter algum modo de tattoo não doer, mas parando pra pensar melhor, talvez não fizesse tanto sucesso se não tivesse dor. Não, eu não sou louca e nem gosto de sentir dor, pra mim seria perfeito se tivesse algum modo de evitá-la, mas pra muita gente é muito legal dizer o quanto a tattoo doeu, dizer que “sobreviveu”, não que a pessoa tenha gostado da dor ou algo do tipo, ela só irá gostar de dizer como foi a experiência, como algum tipo de aventura. Pode se dizer que é uma aventura, pois você irá marcar sua pele por um bom tempo, até para sempre, se assim você desejar.
O único motivo pra eu aguentar a dor e continuar fazendo tatuagens, é pelo tempo que ela dura na pele, pois eu juro, se fosse algo passageiro que sumisse em alguns meses, eu nunca faria, mas acho que vale a pena aguentar algumas horas de dor pra ter o desenho pro resto da vida. Compensa!
Agora vamos falar sobre o que as pessoas acham de alguém tatuado. Sério, no mundo de hoje ainda existe muito preconceito e isso é uma coisa tão bobinha, tão sem sentido, pois a pessoa que se tatuou irá continuar sendo a mesma que era antes da tattoo. Eu por exemplo, continuo sendo vaidosa, romântica ao extremo, continuo chorando litros em filmes tristes, ainda adoro livros, ainda sou alucinada por sorvete de limão e ainda dou risada das coisas bobas que meu marido diz pra me fazer rir. Sou a mesma Camila de antes, a mesma, mas agora tenho alguns desenhos espalhados pelo corpo. Minha personalidade, meu interior, quem eu sou, tudo continua igual. Nunca fiquei bêbada na minha vida, eu nem ao menos bebo, nunca usei drogas, nunca fumei nem um tipo de cigarro, nunca cheguei muito tarde em casa, não fui uma adolescente rebelde, nunca sai com vários caras, pra falar a verdade me casei com meu primeiro namorado, nunca fiz vandalismo com nenhum tipo de coisa ou pessoa, nunca roubei nada, nunca dirigi sem carteira de motorista, nem mesmo em estradinhas de terra, enfim, não sou nenhum tipo de marginal, bandida ou qualquer coisa que possa ter relação com essas coisas, eu até estudo Direito pra me tornar juíza um dia, mas tenho sete tatuagens pelo corpo. Isso faz de mim alguém menor ou pior do que os outros?
Um pouco ou um bocado de tinta nunca será suficiente para mudar quem você realmente é, tatuagem não muda caráter de ninguém... 
PS- qualquer rabisco de caneta, pele vermelha ou coisas desse tipo, tudo isso é normal, pois tirei as fotos logo após ter terminado de fazer a tatauagem. :)

PS1- esse post já estava no ar, mas acabei de me lembrar da música tocada na peça de teatro do Peter Pan e resolvi colocá-la aqui.


Um dia depois: