Traduzir

sábado, 28 de setembro de 2013

Eu Falo e Você Escuta - Foi Sem Querer Querendo


Algumas vezes coisas engraçadas e estranhas acontecem com a gente, coisas que não fazem muito sentido ou que até fazem, mas você fica se perguntando, por quê? Por quê?
Ok, deixe-me explicar do que estou falando, vamos começar do início. Você conhece a série Gossip Girl, certo? Tenho quase certeza que você conhece, mas caso não conheça, tudo que precisa saber é que é uma série sobre gente rica que estuda em colégios ricos e ficam todos com seus problemas de ricos, sendo que um dos problemas é uma garota misteriosa que possui um blog onde posta tudo sobre a vida das pessoas populares, coisas que todo mundo quer saber, mas  que nem sempre são agradáveis.
Enfim, não importa do que se trata a série, pois o foco não é esse. Já vi alguns episódios avulsos, sei bem como gira o mundo por lá, personagens e tudo mais, mas nunca me aprofundei nos episódios e nem vi mais de dois seguidos, pois a série é legal, eu gosto, mas nunca fiquei louca da vida para ver, tanto que ela já chegou ao fim e eu ainda não assisti nem mesmo a metade da primeira temporada. Isso iria mudar esse ano, prometi que nas férias da faculdade iria baixar todas as temporadas e assistir logo de uma vez.
Tudo bem, isso já estava certo, eu iria ver todos os episódios e tirar minhas próprias conclusões, pois muita gente reclamou do final, disseram que não foi nada demais e decepcionante. Mas algo terrível aconteceu, para alguns pode não parecer, mas pra mim foi o fim, pois algumas pessoas não se importam com spoilers, nem mesmo com aqueles que mudam toda sua vida, aqueles que te contam tudo. No meu caso o spoiler que vi foi gigantesco, não tem mais como ver a série de uma forma normal, despercebida, não tem mais como não ter outros olhos sobre a tal pessoa que descobri não ser quem pensei que fosse. Kkkk
Você deve estar confuso agora, mas não fique agoniado, vou explicar. Estava eu toda tranquila numa noite de sábado assistindo televisão. Eu estava cansada, pois tinha estudado o dia todo e já estava tarde, nada de bom estava passando em meus canais favoritos, por isso fiquei passando pelos canais e dando uma olhadinha em cada um pra ver se achava alguma coisa que prestasse e então... Adivinhem só, fui parar no canal Glitz* que por acaso estava passando Gossip Girl, mas não somente Gossip Girl, o último episódio da última temporada, mas não somente o último episódio da última temporada, coloquei no canal no exato momento em que revelavam quem era a garota do blog. 

Foi isso, resumi seis temporadas em um único segundo. Palmas, muitas palmas! DIVINO! 

Você pode estar dizendo que não é nada demais e bla bla bla, mas isso irá mudar tudo, se você assistiu o último episódio, sabe do que estou falando. A garota do blog era um mistério terrível, a série toda ficou girando sobre quem ela era e então eu descobri quem ela é e agora nada mais será o mesmo. Cada momento, cada cena que eu ver e ela estiver, vou ficar olhando com aquela cara de “hmmm, pensa que me engana, né?”.  
O que eu faço agora? Deixo pra lá, ignoro esse fato, mando uma mensagem para meu cérebro esquecer o que viu essa noite e assistir a série como se nada nunca tivesse acontecido? Ou esqueço esse plano de férias e não vejo mais a série? Eu não sei, não sei o que irei fazer sobre isso, mas acho que irei tentar assistir mesmo assim, mesmo sabendo quem é a ordinária garota do blog, mas sim, sei que nada será o mesmo, pois agora eu terei que olhar para o rosto da garota sabendo quem ela é e sabendo o que ela faz e então toda a magia será perdida. 
Eu odeio spoiler, todo tipo de spoiler, odeio quando alguém conta um sem querer, quando contam por pura maldade, quando leio algo por acaso, quando coloco no canal na hora errada e tchanam, spoiler. Odeio todos eles, morram!
O pior é que apesar de odiar sopiler, continuei vendo o final do capítulo, pois já havia descoberto o principal mesmo, o que mais poderia acontecer de impressionante? O que é um pingo pra quem já está encharcado?


Mas e vocês, o que pensam sobre spoilers? 

PS - caso você tenha ficado curioso ou então não se importe com spoiler e queria saber quem é a garota do blog, é só clicar AQUI!

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Doument My Life

Olá queridões, como vocês estão?
Ah, algum tempo comentei aqui no blog que estava gravando pedacinhos da minha vida para o vídeo document my life, pois bem, ele está pronto. Como já disse antes, o vídeo não é nada de extraordinário, só minha vida estudando, lendo e bla bla bla. E como podem perceber, passo muito tempo dentro do carro e pego bastante estrada. kkkk
É isso, espero que gostem!

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Deixando o Paraíso


Primeiro deixe-me falar sobre a capa, eu a adoro, não sei nem exatamente o motivo, mas eu adoro. Quer dizer, só temos um fundo preto com dois braços dando as mãos e um pequeno pedacinho do rosto da menina, mas não sei, algo nesses dois braços me atrai, quando olho essa capa é como se eu pudesse escutar um sussurro em meus ouvidos dizendo que esse livro é legal, isso faz algum sentido? Provavelmente não, mas é a vida, meus filhos, eu sou assim mesmo.
Ok, fiquei com vontade de ler esse livro por causa da capa, como já disse antes. Pois é, me julguem e atirem logo as pedras, mas eu escolho o livro pela capa sim, na maioria das vezes.
O livro vai nos apresentar a história de Maggie que foi atropelada por seu vizinho que havia saído bêbado de uma festa. A garota nunca se recuperou totalmente, ela possui muitas cicatrizes na perna e anda mancando, ou seja, a vida da garota ficou de pernas para o ar de um dia para o outro ou no caso, da noite para o dia. Maggie quase não tem vida social e detesta os olhares de pena que são jogados em sua direção. Mas isso não é o pior, pois Caleb, o garoto que a atropelou, acabou de sair da cadeia juvenil.
Maggie não quer saber de Caleb, o que ela mais quer e precisa é se manter longe dele, quanto mais longe, melhor, mas é lógico que suas tentativas de se manter afastada não dão certo, eles acabam se encontrando e o primeiro contato não é nada bom ou amigável. Em minha opinião, ela está certa, ué, o cara praticamente estragou sua vida e eles eram vizinhos, se conheciam desde pequenos, a irmã dele era a melhor amiga dela.
Então, o que vou dizer agora não é nenhum spoiler, pois as pistas já foram deixadas na sinopse do livro e nada poderia ser mais obvio do que isso e nem teria graça alguma se não acontecesse, pois Maggie (que na verdade sempre foi apaixonada pelo irmão da melhor amiga) acaba se vendo numa situação muito difícil, pois está se apaixonando novamente (ou nunca deixou de estar) por Caleb e ele parece retribuir.
Mas como a vida não tá fácil pra ninguém e as pessoas que vivem no mundo de hoje não passam de fofoqueiras, encrenqueiras, bisbilhoteiras, mexeriqueiras, intrometidas e tudo mais, é claro que todo mundo da cidade Paraíso (sim, esse é o nome da cidade) possui uma opinião sobre o relacionamento dos dois. Todo mundo tem um palpite pra dar, mesmo que ninguém queria escutar. E é lógico que a mãe de Maggie não concorda nada com o envolvimento dela com Caleb, da mesma forma que a família totalmente tradicional do garoto.
E também temos o fato de Maggie conseguir perdoar ou não Calebe pelo “acidente”, entre aspas mesmo, pois o cara estava caindo de bêbado.
Sem dizer que muitas coisas que aconteceram naquela noite do acidente ainda precisam ser explicadas e muitas conversas sobre os motivos e decisões ainda precisam rolar. Muita coisa errada aconteceu naquela noite, mesmo que alguns motivos tenham sido certos, como aquela escolha que qualquer pessoa faria.
Enfim, eu adoro o livro e digo isso sem me basear somente pela capa, a história pode parecer boba, tá na cara que eles vão ter um relacionamento, mas o livro é muito mais do que isso, não só aquela bobeira forçada que estamos acostumados.
Primeiro, o amor dos dois é LINDO, sabe aquela coisa mais fofa do mundo? Aquele amor puro que acontece aos poucos e é reconquistado aos poucos. Cada toque, cada beijo, tudo tão lindo. Eu ficava animada somente por Caleb segurar a mão de Maggie, quer dizer, o que é segurar a mão da namoradinha nos dias de hoje? Podemos dizer que não é nada, mas a forma que as coisas são narradas e de como acontecem te faz sentir frio na barriga e arrepios nos pelinhos dos braços, ao menos eu me senti assim.
Recomendo!


PS – o melhor é que tem continuação e eu já li, pois li esses livros há algum tempo. Caso você já leu o primeiro ou ainda vai ler, não se desespere no final, pois tudo acaba meio assim... Você provavelmente vai estar arrancando seus cabelos, mas com certeza vai querer ler o segundo e último livro. 

domingo, 15 de setembro de 2013

Truque de Mestre


Quando vi aquele menino do Connect, Rolandinho, quando vi o episódio onde ele falava mal desse filme, achei que era somente por ele praticar números de mágica há não sei quantos anos, que era apenas coisa de mágico que não gosta de filmes não muito explicados sobre mágica, sei lá. Mas ele estava certo, o filme é muito ruim, não tem nada demais, nada de “oh, que impressionante”.
Sabe quando você está vendo alguma coisa e fica torcendo pro negócio acabar logo? Sabe como é isso, né? Pois é, isso é muito chato!
O filme conta a história de alguns mágicos de rua, outros um tanto quanto falidos, que se encontram, pois todos eles receberam umas tais cartas falando sobre um tal “olho” que é uma lenda no meio dos mágicos, pode-se dizer que é uma seita para os mágicos. Então esses caras ficam famosos, apresentam uns shows onde coisas que supostamente deveriam ser incríveis, mas que pra mim foram chatas e motivo de bocejos longos na frente da televisão, mas enfim, eles fazem essas apresentações, causam tumulto com a policia, pois andam fazendo coisas ilegais no meio dos shows.
O final era pra ser algo que ninguém imaginaria, mas se você usar um pouquinho a cabeça, só um pouquinho e pensar na pessoa que deveria ser a menos obvia para ser o secreto dono da seita do “olho”, você consegue descobrir logo de cara.
É, como eu disse, um filme ruim. Até dá pra passar o tempo, mas no meu caso, eu queria que o tempo passasse muito mais rápido, pois queria que o filme terminasse logo.
Não achei nada de inacreditável, nada de novo ou espetacular, só um filme bobo sobre mágicas que na vida real nunca dariam certo, talvez esse fato tenha me irritado mais.  Foi um filme forçado, chato, duro de engolir, eu nem ao menos achei engraçado.
Aquele filme, “O Grande Truque”, que assisti há muito tempo, é mil vezes melhor que esse, não tem nem comparação.

Ah, antes que me esqueça, mais uma vez a tradução do título do filme foi essa coisa abrasileirada que eu realmente não entendo. O título verdadeiro é “Now You See Me”, que faz todo sentido, pois os mágicos usam essa frase o tempo todo, agora você me vê, agora não, seria bem melhor ter deixado o título original, como na maioria dos casos. 

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Eu Falo e Você Escuta - Espírito de Porco


Revoltada! Essa palavra quase consegue explicar o  tipo de sentimento que ando nutrindo em meu coraçãozinho.
Deixe me explicar melhor, na semana passada comprei um carro, vendi meu antigo e comprei esse que estou agora. Antes de tudo, quero dizer que não entendo absolutamente nada sobre carros, eu nem ao menos sei reconhecer o meu próprio carro estacionado. Se eu tenho um carro branco de duas portas, todo carro branco de duas portas é o meu, se eu tenho um carro rosa de quatro portas, consequentemente, todo carro rosa de quatro portas é o meu. Sempre tento entrar em carros que obviamente não são meus, as pessoas ao meu lado sempre dão risada, enquanto tento explicar que a cor do carro é a mesma e o número de portas também. Isso é um grande problema, pois já tentei entrar em carros errados demais em minha vida, mas isso nem ao menos vem ao caso, vamos voltar para o assunto de antes.
Estava indo tudo bem, o carro é confortável, com airbag até no quinto dos infernos e tudo, MAS e sempre existe um “mas”, ontem quando meu digníssimo esposo estava saindo do Polpatempo encontrou o excelentíssimo carro riscado por uma chave de um farol até o outro e um último risco no espelho. Pois é, eis o motivo para tanto ódio no coração essa semana.
Meu digníssimo esposo me telefonou para contar a incrível façanha que algum eterno filho da p*** (sim, sou uma lady e não falo palavrão, ao menos não em público) havia cometido com nosso querido e amado carro. Quando ele me ligou, juro pra vocês, me deu até vontade de chorar, mas acho que a vontade de pegar o lindo rostinho desse pequeno filho da p*** e esbofetear até ele ver estrelas cor-de-rosa foi maior que a de chorar.
Mas a pergunta que ficou martelando em minha mente e que não quer se calar é: Por quê?  Por quê?? POR QUÊ???
Por qual motivo, razão ou circunstâncias uma pessoa faz uma coisa dessas? Seria inveja? Algum tipo de doença mental? Problemas familiares? Drogas?
Eu realmente não faço ideia, não consigo entender como a humanidade pode ser tão maldosa assim. Riscar o carro alheio com uma chave vagabunda (não sei o motivo pra chave ser vagabunda, mas estou nervosa, então desconsiderem) não irá mudar a sua vida medíocre, você não irá ganhar mais dinheiro por isso, não ficará mais bonito e seu problema com drogas não será resolvido. Se alguma dessas coisas fosse acontecer, eu até entenderia o motivo pra alguém ter feito isso, mas como nada aconteceu,  minha vontade de esbofetear a cara do ordinário só aumenta.
Enfim, minha gente, a vida é dura, né? Mas posso dar uma noticia boa, o filha da p*** não serve pra nada, nem para riscar o carro alheio, não sabe nem fazer o serviço direito, pois com o produto certo, conseguimos tirar o risco do carro, ainda bem.
Foi isso, acho que expressar meu ódio aqui no blog me ajuda, ao menos não fico com coisas ruins reprimidas dentro de mim e posso compartilhar fatos inesperados, infelizmente nem sempre para o lado bom da força, com vocês.

Expressem seus sentimentos e me digam se coisas parecidas já aconteceram em suas vidas, ok? 

PS- o título do texto é espírito de porco, pois quando alguém faz algo como a pessoa que riscou meu carro, minha vó sempre olha com uma cara de indignação e diz que tinha que ser um espírito de porco mesmo. Isso faz algum sentido pra vocês? 

PS 2 - não sei exatamente o motivo pra ter colocado uma foto de meus olhos nesse texto, talvez no fundo de minha mente perturbada eu tenha pensado que o cara que fez isso com meu carro possa estar lendo esse texto e então possa perceber que eu estou de olho nele (e eu estou). Vai entender... 

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

TAG: Livros + Emoções

Olha eu respondendo mais uma TAG, por algum motivo desconhecido, ando gostando de gravar esse tipo de vídeo, algo me diz que é só pra ter motivo para usar o editor de vídeos, pois agora estou começando a pegar o jeito com ele. kkkk
Enfim, espero que gostem! :)

terça-feira, 3 de setembro de 2013

Romeu e Julieta

Gente do céu, que blog mais abandonado, que dó que dó que dó.
Pois é, o coitado do blog andou meio esquecido, mas juro que dessa vez não foi por preguiça e sim por falta de tempo. Minha vida está uma loucura nesse final de ano. Caramba! Já estamos em setembro, dá pra acreditar?
Mas falando a verdade, quero mais que esse ano passe logo e os próximos três anos também, pois a faculdade está me deixando maluca.
Deixei o blog empoeirado por esses dias, mas andei fazendo outras coisas para poder postar por aqui em breve. Alguns de vocês já escutaram alguma coisa sobre os vídeos documenting my life? Pra quem não sabe, são vídeos onde você grava pedacinhos do seu dia e depois monta um vídeo curtinho mostrando como foi seu mês. Estou gravando, ou melhor, já gravei pedacinhos da minha vida no mês de agosto, mas ainda não editei. É claro que minha vida não é cheia de aventuras legais e radicais como alguns vídeos que vi, mas achei a ideia muito legal e gravei com carinho, isso que importa. Kkkk
Enfim, vamos tirar o blog do esquecimento e fazer mais uma resenha.



Acho que dessa vez não preciso me preocupar em soltar spoiler, pois todo mundo no mundo conhece a famosa história de Romeu e Julieta. Se você não sabe nada sobre a história, deveria saber, ué, de que mundo você é?
Pois bem, peguei o livro toda animada para ler, achei que iria ser demais e estava até me sentindo um pouco culpada por nunca ter lido a história original de Romeu e Julieta, mas minha animação logo se evaporou.
Em primeiro lugar, não gosto de ler peças, esse não foi o motivo por ter odiado o livro, mas posso dizer que colaborou um pouco. Odeio ler peças, mas como queria ler a história original...
Julieta é uma criança de apenas treze anos de idade e Romeu é um moleque de dezessete, eu não sabia disso, sempre achei que eles fossem mais velhos. Esse começo já me irritou, ela é nova demais. Tudo bem que naquela época era assim que as coisas funcionavam, mas fiquei irritada, tenho que admitir. Romeu é muito meloso também, ele é romântico, não podemos negar, mas muito cheio de mi mi mi pro meu gosto. 
Já comentei sobre isso em um vídeo, mas o fato dos personagens terem cometido suicídio me deixa louca da vida, eu não acho romântico ver pessoas se matando por amor, na verdade, eu não vejo nada de romântico em pessoas se matando, não importa qual seja o motivo, se matar está fora da lista, a hipótese de algo assim não existe pra mim, ainda mais se tratando de duas crianças se matando por um amor forçado e bobo. Acho que o fato de Romeu saber que Julieta era filha do inimigo só serviu para aumentar a vontade de estar com ela. Sabe essas coisas de criança? Essas coisas de querer fazer algo só por saber que é errado? É exatamente isso que penso.
E outra coisa, se naquela época todo mundo era conservador e bla bla bla, como Julieta deixou que um cara que ela nem conhecia a beijasse no meio de uma festa? Não somente um beijo, mas dois. Que tipo de menina ela era?
Eu tenho vontade de dar umas boas palmadas na bunda dela, deixá-la de castigo e mandá-la virar gente. Vai fazer alguma coisa da sua vida, menina, tenta inventar a boneca Barbie e vá brincar com ela, é mais a sua cara.
Pra mim, muita gente sente medo de dizer que não gostou de um clássico, as pessoas sentem medo dos outros pensarem que elas são ignorantes, burras ou que não entendem literatura desse nível, mas isso é uma besteira tão grande, é uma besteira sem tamanho, pois cada um pensa de uma forma e dizer que detestou um clássico não te torna ignorante ou menos sensível.
Tudo bem, reconheço que na época em que a história foi escrita, foi uma novidade daquelas, uma história como nenhuma outra, ninguém iria imaginar que os dois iriam se matar e ainda mais da forma que se mataram. Na época foi uma grande história, mas no mundo de hoje, pra mim, é apenas mais uma.
Da mesma forma que o livro e filme “Psicose”, na época que foi escrito foi uma revolução para os livros, mas hoje é só mais um caso de dupla personalidade.
Não estou tentando desmerecer Shakespeare, só acho que esse livro é melhor na teoria.
Foi uma surpresa enorme pra mim não ter gostado nem um pouco do livro, é claro que encontrei algumas frases bonitinhas e tal, mas nada demais, só um romance adolescente meio forçado, mas é a vida, né? Não vou morrer por ter descoberto que detesto o romance histórico que deu origem a tantos outros, como também não vou mentir dizendo que gostei.

Mas e você, já leu Romeu e Julieta? Se sim, me diga o que achou e caso não tenha lido, mas conheça a história, o que pensa sobre ela?