Traduzir

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Deixando o Paraíso


Primeiro deixe-me falar sobre a capa, eu a adoro, não sei nem exatamente o motivo, mas eu adoro. Quer dizer, só temos um fundo preto com dois braços dando as mãos e um pequeno pedacinho do rosto da menina, mas não sei, algo nesses dois braços me atrai, quando olho essa capa é como se eu pudesse escutar um sussurro em meus ouvidos dizendo que esse livro é legal, isso faz algum sentido? Provavelmente não, mas é a vida, meus filhos, eu sou assim mesmo.
Ok, fiquei com vontade de ler esse livro por causa da capa, como já disse antes. Pois é, me julguem e atirem logo as pedras, mas eu escolho o livro pela capa sim, na maioria das vezes.
O livro vai nos apresentar a história de Maggie que foi atropelada por seu vizinho que havia saído bêbado de uma festa. A garota nunca se recuperou totalmente, ela possui muitas cicatrizes na perna e anda mancando, ou seja, a vida da garota ficou de pernas para o ar de um dia para o outro ou no caso, da noite para o dia. Maggie quase não tem vida social e detesta os olhares de pena que são jogados em sua direção. Mas isso não é o pior, pois Caleb, o garoto que a atropelou, acabou de sair da cadeia juvenil.
Maggie não quer saber de Caleb, o que ela mais quer e precisa é se manter longe dele, quanto mais longe, melhor, mas é lógico que suas tentativas de se manter afastada não dão certo, eles acabam se encontrando e o primeiro contato não é nada bom ou amigável. Em minha opinião, ela está certa, ué, o cara praticamente estragou sua vida e eles eram vizinhos, se conheciam desde pequenos, a irmã dele era a melhor amiga dela.
Então, o que vou dizer agora não é nenhum spoiler, pois as pistas já foram deixadas na sinopse do livro e nada poderia ser mais obvio do que isso e nem teria graça alguma se não acontecesse, pois Maggie (que na verdade sempre foi apaixonada pelo irmão da melhor amiga) acaba se vendo numa situação muito difícil, pois está se apaixonando novamente (ou nunca deixou de estar) por Caleb e ele parece retribuir.
Mas como a vida não tá fácil pra ninguém e as pessoas que vivem no mundo de hoje não passam de fofoqueiras, encrenqueiras, bisbilhoteiras, mexeriqueiras, intrometidas e tudo mais, é claro que todo mundo da cidade Paraíso (sim, esse é o nome da cidade) possui uma opinião sobre o relacionamento dos dois. Todo mundo tem um palpite pra dar, mesmo que ninguém queria escutar. E é lógico que a mãe de Maggie não concorda nada com o envolvimento dela com Caleb, da mesma forma que a família totalmente tradicional do garoto.
E também temos o fato de Maggie conseguir perdoar ou não Calebe pelo “acidente”, entre aspas mesmo, pois o cara estava caindo de bêbado.
Sem dizer que muitas coisas que aconteceram naquela noite do acidente ainda precisam ser explicadas e muitas conversas sobre os motivos e decisões ainda precisam rolar. Muita coisa errada aconteceu naquela noite, mesmo que alguns motivos tenham sido certos, como aquela escolha que qualquer pessoa faria.
Enfim, eu adoro o livro e digo isso sem me basear somente pela capa, a história pode parecer boba, tá na cara que eles vão ter um relacionamento, mas o livro é muito mais do que isso, não só aquela bobeira forçada que estamos acostumados.
Primeiro, o amor dos dois é LINDO, sabe aquela coisa mais fofa do mundo? Aquele amor puro que acontece aos poucos e é reconquistado aos poucos. Cada toque, cada beijo, tudo tão lindo. Eu ficava animada somente por Caleb segurar a mão de Maggie, quer dizer, o que é segurar a mão da namoradinha nos dias de hoje? Podemos dizer que não é nada, mas a forma que as coisas são narradas e de como acontecem te faz sentir frio na barriga e arrepios nos pelinhos dos braços, ao menos eu me senti assim.
Recomendo!


PS – o melhor é que tem continuação e eu já li, pois li esses livros há algum tempo. Caso você já leu o primeiro ou ainda vai ler, não se desespere no final, pois tudo acaba meio assim... Você provavelmente vai estar arrancando seus cabelos, mas com certeza vai querer ler o segundo e último livro. 

2 comentários:

  1. Não sabia desse livro, é sempre bom que as outras pessoas conheçam outros livros, mesmo que goste de gêneros iguais. :P.

    Mas falando sobre o livro, não gostei da estória. Sei lá, essa coisa de vitima se apaixona pelo causador de seu sofrimento é um pé no... kkk! Só iria achar legal se ele morresse no final ou se sofresse um acidente igual ao dela para ficarem quites.

    Boa resenha (queria ter sua facilidade)!

    Até, Camila! :).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Então, mas não é bem assim, pois a menina sempre foi apaixonada pelo cara, não foi algo que aconteceu depois do acidente. Eles eram amigos, quando ela fazia algo de errado, como quebrar alguma coisa em casa, ele colocava a culpa nele mesmo, pra que ela não levasse bronca. Ela sempre gostou dele. E também muita coisa sobre o acidente foi contada errada, a história não é exatamente o que parece. kkkk

      Suas resenhas também são boas, já falei isso antes. Escrever pra mim é muito fácil, como se fosse natural, como respirar. kkk

      Ate. :)

      Eliminar

Adoraria saber o que você está achando do blog, e da postagem...