Traduzir

domingo, 20 de outubro de 2013

Eu Falo e Você Escuta - Gays Também Sabem Amar


Na última sexta-feira tive uma palestra sobre religião e política, estava tudo indo normalmente, até um homem, aparentemente muito ignorante se levantar e expor sua opinião, muito embora ninguém tenha perguntando ou dado qualquer evidência de querer saber a respeito.
Ele começou dizendo que não tem preconceitos contra gays, MAS...
Vamos fazer uma pausa, quando alguém diz que não sente preconceito, que não é racista e logo em seguida diz a palavra “mas”, calminha meu filho, se você disse “mas” significa que você é preconceituoso, que você e racista ou qualquer outra coisa que disse não ser, você apenas não quer admitir isso na frente de tanta gente. Se você não é preconceituoso, não iria dizer “mas”, seria apenas algo assim, “não tenho preconceito contra gays”, ponto final, não existe um “mas”.
Então, esse cara disse que não sente preconceito, MAS não quer que seus filhos vejam dois homens se beijando em algum lugar publico. Minha vontade foi de levantar de minha cadeira e dizer que eu não gostaria que meus filhos vissem homens como ele dizendo coisas como aquelas, não quero que meus filhos conheçam pessoas como ele e tenho pena dos filhos dele, pois com certeza, crescerão com os mesmos pensamentos cavernosos.
Qual o problema com as pessoas? Já vi milhares de casais de sexos diferentes se agarrando em lugares públicos, qual o problema de um casal gay dar um beijinho, um abraço, andar de mãos dadas ou expressar seu amor de alguma forma? Muita gente diz que os filhos irão fazer perguntas sobre a cena, é verdade, se meu filho visse dois homens ou duas mulheres se beijando, ele iria me perguntar alguma coisa, eu apenas iria explicar que eles se amam e são namorados, não há problema nisso, seu filho não se tornará gay por ver um casal gay. Conheço muitos gays, todos eles disseram que não é uma escolha, não é algo que você decide ser, você apenas nasce assim.
Eu realmente não entendo como o cérebro de pessoas como o cara da palestra funciona. Tenho uma amiga, gosto muito dela, gosto de verdade, mas ela foi criada de uma forma errada, as pessoas da família dela não gostam de gays, ela diz que não tem nada contra e tal, mas ela tem, pois sempre diz um “mas” e coloca alguma objeção, ela acha que é errado pessoas do mesmo sexo se casarem e adotarem filhos. Disse pra ela que se ela pode encontrar o homem da vida dela e com ele se casar, porque aquele carinha não pode encontrar o homem da vida dele e se casar com ele também? Só ela pode realizar esse sonho? Isso tá errado, gente, muito errado.
Uma vez contei que um amigo gay estava adotando uma criança e que ele estava muito feliz, que quando perguntávamos se ele preferia menino ou menina, ele apenas respondia que queria ser pai, que queria uma criança para cuidar, o sexo não importava. Minha amiga me olhou de uma forma muito peculiar, aparentemente com olhos raivosos e disse que ele deveria ter os próprios filhos. Fiquei indignada, pois ela disse que a criação da criança seria totalmente errada e não estava correto. Eu sabia que a única criação errada ali era a dela, como também sabia que não mudaria sua forma de pensar, tentei explicar de uma outra forma. Ela nunca entenderia que filhos de gays raramente se tornam gays e que os gays nasceram de um casal hétero  também não entenderia o amor de um pai pelo filho nessas circunstancias, então optei usar outra tática, perguntei qual opção seria melhor, ser criado, amado e viver num lar com pais gays ou viver o resto da vida num orfanato ou pior ainda, viver nas ruas sem teto, amor ou condições básicas de vida? Então ela disse que nesses casos ela preferia os pais gays.
Sabe, tantas crianças nas ruas, tantas crianças abandonadas, tantas crianças em orfanatos, tantos orfanatos lotados e pessoas dizendo que os gays deveriam dar um jeito de ter seus próprios filhos ao invés de adotar uma criança necessitada de amor e carinho. Gente querendo dar amor e gente precisando desse amor, sendo julgados por gente com objeções sem sentido ou lógica.
Acho que a maneira de convencer pessoas preconceituosas é dizer que amor é amor, não importa como for, qualquer forma de amor é válida ou então, qualquer amor é melhor do que a falta dele ou do que o ódio. Num mundo como esse em que vivemos, onde o ódio domina tantas partes, qualquer maneira de amar deve ser aceita.
Por qual motivo o amor incomoda? Eu não entendo, não consigo entender, acho que nunca entenderei como pode existir gente que sente ódio, se incomoda, não aceita e acha isso errado. É um absurdo!

Ainda acho que daqui uns 100 ou 150 anos, as coisas serão diferentes e casais gays serão apenas casais comuns, como deveriam ser agora, ainda acho que tudo irá melhorar e que ninguém irá levar uma surra nas ruas por estar de mãos dadas com a pessoa que ama, o amor ainda irá vencer essa guerra, o que me entristece é saber que já não estarei viva pra presenciar esse mundo.  

10 comentários:

  1. Oi, Camila.

    Esse homem foi preconceituoso, sim. Eu sou sincera. Tenho vários amigos homossexuais e respeito todos, contudo, me sinto incomodada com exposições homossexuais na rua - na verdade, certos casais héteros também me incomodam. Como você sabe, sou cristã, mas já era desse jeito antes de me tornar cristã de fato, há treze anos.

    A bíblia também afirma que a relação homossexual é pecado e eu realmente sigo a bíblia. Em contrapartida, a bíblia não diz em lugar nenhum que Deus odeia os homossexuais, assim como também não diz que Ele odeia nenhum outro pecador - pelo contrário, diz que Deus odeia o pecado, mas ama o pecador. Sei que Deus me ama, mesmo com os pecados que cometo, e sei que ele ama os homossexuais também. Assim, amo os homossexuais, embora discorde de suas práticas.

    Acho que é possível, sim, discordar sem ser desagradável. Eu discordo da prática homossexual mesmo, mas amo os homossexuais, pois são pessoas, seres humanos como eu. Eles apenas são diferentes de mim na opção sexual, e isso não significa que devam ser maltratados ou feridos. É como a questão da religião... O fato de discordarmos da crença uma da outra nunca nos fez desrespeitar uma a outra. Desse jeito, discordo dos homossexuais, mas não os oprimo. Amo meus amigos homossexuais e, apesar de minha opinião acerca da prática homossexual, sempre os trato com respeito.

    Não me considero preconceituosa, pois realmente respeito os homossexuais. Acho que essa é a escolha deles - conheço várias homens que foram homossexuais travestidos e que hoje são casados com filhos e felizes, então penso que é questão de escolha. Agora, é fato que eu não concordo com a prática.

    Beijos,

    Isie Fernandes - de Dai para Isie

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Isie.
      Sabe, pessoas se agarrando na rua, não é algo legal, independe de ser um casal hétero ou gay, acho que as pessoas devem ter noção de que estão fazendo isso na frente de outras pessoas, né?
      Eu entendo você, também acho que não seja preconceituosa. A bíblia diz que esse ato é errado e você segue a bíblia, por isso não aprova, mas respeita. Se a bíblia não fosse contra, acredito que você também não seria. Você foi sincera, disse que discorda e explicou seus motivos, meu problema maior é quando as pessoas não gostam de gays, simplesmente por não gostar, sem ter nenhum motivo se quer. Já conheci muita gente assim.

      Sobre os homossexuais que deixaram de ser, não sei se acredito muito nisso. Já conhecia alguns que se casaram com mulheres e tiveram filhos, pois a vida é mais fácil assim, mas por dentro nunca deixaram de ser gays, fazem tudo de mentirinha.
      Acho que eles podem fazer uma escolha sim, mas deixar de sentir atração por um sexo é meio complicado, pois imagine, você é hétero, assim como eu, como seria fazer a escolha de não se sentir mais atraída pelo sexo oposto? Pra mim não existe uma escolha, gosto de homens e não consigo sentir atração por mulheres de nenhuma maneira, não tem como mudar, tá entendendo o que tô querendo dizer? kkkkk

      Hahaha, eu também escrevi bastante, esse assunto rende, né? kkkk

      Um Beijãooooo, Isie. :)

      Eliminar
  2. PS. Só agora percebi que escrevi um livro aqui. kkkkkkkkkkk

    ResponderEliminar
  3. Sabe o que é pior que o "não tenho preconceito, mas..."? Essa historinha de "não quero que meus filhos vejam". Olha, eu ando ouvindo tanto sobre "a família" e a "proteção da família" e o "bem da família", saindo da boca da pior espécie de cretino cristão fundamentalista que eu estou quase começando a pegar desprezo pela palavra e tudo que ela representa (estou prestes a escrever um manifesto contra a reprodução, favorecendo o sexo apenas para fins recreativos). Aposto que o filho do cidadão vai se importar tanto com o casal gay se pegando na rua, quanto com o casal hétero, dependendo da idade, ambos podem gerar perguntas.

    Eu já escrevi um texto sobre isso tanto tempo atrás e, se não me engano, você até leu e comentou na época. Minha opinião é parecida com a sua, defendo a liberdade individual para que eles façam aquilo que bem entenderem. Religiosos que estabeleçam seus dogmas, regras e limitações apenas para eles mesmos e deixem o resto de nós em paz (não só quanto ao homossexualismo, mas quanto ao aborto, algumas drogas e todo o tipo de coisa que eles gostam de ir contra).

    ResponderEliminar
  4. Pois é, gente se pegando na rua é uma coisa muito feia, seja o casal gay ou não e as crianças podem fazer perguntas da mesma forma, ué.
    Sim, acho que me lembro do seu texto. Também acho que todos devem fazer o que quiserem, pra mim, enquanto não estiver afetando outra pessoa, faça o que bem entender, por isso sou contra o aborto, pois nesse caso estão afetando outra pessoa, fazendo uma escolha definitiva por alguém, mas isso já é outra história, pra outro Eu Falo e Você Escuta. kkkkkkk

    ResponderEliminar
  5. como vc domina sobre todos os assuntos sinceramente vc e uma pessoa evoluida entendida muito bom o post....daiane

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu não entendo sobre todos os assuntos não, Daiane, mas gosto de conversar sobre tudo. kkkk
      Obrigada!

      Beijos :)

      Eliminar
  6. Concordo plenamente com você! Isso tudo resulta da falta de educação, não só aquela na escola, mas aquela que vem de dentro de casa.
    Alguns dizem que nos fins de semana o centro de Joinville é tomado por homossexuais que tomam atitudes mais promíscuas. Sendo muito sincera mesmo, nunca vi um casal gay se agarrando na rua, e olha que eu moro na maior cidade do estado! O que sempre vi foram as mãos dadas e no máximo um abraço momentâneo. Nada mais. É aquele velho ditado, as pessoas só vêem o que querem ver. A questão da adoção de crianças por casais homossexuais é o que mais gera revolta. Será que estas pessoas imbecis que são contra a adoção não raciocinam o suficiente para notar que antes da criança precisar ser adotada, ela foi abandonada por um casal heterossexual? É tudo muito revoltante. Não vou nem entrar na questão religiosa, senão iria ficar escrevendo a noite inteira...
    Fico muito feliz quando encontro pessoas que pensam como você, mostra que a sociedade realmente pode evoluir.
    Abraços, AP Challis
    http://acrobatadasletras.blogspot.com.br/2013/10/resenha-pressagio-o-assassinato-da.html

    ResponderEliminar
  7. Oi, Camila! Andei sumido, né?

    Gostei do post, Camila. E sou a favor de sua opinião. O estranho que nesses tempos tive a mesma discussão com um colega de serviço. Mas ele não discutiu, fez um monólogo sobre como eu estava errado. E sempre que eu tentava falar ele me interrompia. Então deixei pra lá, vi que não dava pra conversar, ele era um ignorante muito burro. E nenhum argumento dele fazia sentido para me convencer. E se dizia religioso.

    E nessa horas eu lei o que Isie escreveu lá encima e mais uma vez ela se mostra elegante e aberta. Pois ela é religiosa e é contra, mas respeita de forma educada. Se todo evangélico fosse como ela não haveria discórdia, apenas um acordo de respeito. É por isso que tiro o chapéu pra Isie.

    Só para me despedir, ótima escrita e parabéns.
    Abraços.

    ResponderEliminar

Adoraria saber o que você está achando do blog, e da postagem...