Traduzir

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Divergente


Me sinto como aquelas pessoas alucinadas que se matam quando seu personagem preferido morre. Não que eu vá fazer algo do tipo, mas esse livro foi tão maravilhoso, de maneiras tão diferentes e eu realmente não estava esperando. Acho que esse foi um ponto forte, eu não estava esperando nada disso.
Faz muito tempo que vejo resenhas sobre Divergente, mas nunca me senti louca pra ler, nunca fiquei com aquela sensação de "oh, preciso desse livro pra hoje", então nunca me preocupei em ler. Mas então descobri que iria virar filme, a vontade aumentou um pouco, fiquei pensando que leria antes de assistir, mas ainda faltavam alguns meses para o filme chegar então tudo bem pra mim. 
Então eu vi o trailer e ele é tão legal, mas tão legal que eu simplesmente precisava do livro, pro mesmo dia. Foi isso que fiz, li o livro num dia só, pois não havia nenhuma maneira de me trazer para a realidade e tirar aquele livro das minhas mãos. Devo admitir, você seria uma pessoa muito corajosa se tentasse, perderia os dedos, mas ainda seria corajoso. 
Eu amei, amei, amei e agora vou morrer enquanto espero o filme chegar.
Vamos lá. deixe-me explicar a história, estamos falando de uma distopia, adorooooo. Nesse mundo as pessoas foram divididas em facções, os Destemor, Abnegação, Sinceridade, Erudito e Amizade.
O pessoal do Destemor, são aquelas pessoas criadas para não ter medo de nada, para proteger a cidade, como soldados. Os da Abnegação são pessoas que nunca se colocam em primeiro lugar, qualquer pessoa é mais importante que si mesmo. Sinceridade, o nome já diz, pessoas que nunca mentem. Erudito são os nerds, pessoas que buscam conhecimento e Amizade são algum tipo de elfos da paz e felicidade, adoram abraçar e são amigáveis, faz sentido, não? 
Iremos conhecer Beatrice Prior, uma garota de 16 anos, ela vivi na facção da Abnegação com seus pais e irmão, Caleb. Antes dos 16 anos, você vive na mesma facção de seus pais, mas depois você faz um tipo de teste e decide se quer continuar nessa facção ou ser transferido.
Uma vez feita essa escolha, de ficar ou ser transferido, não há como mudar, caso você não goste da facção que escolheu ou por algum motivo precise sair dela, você se transforma num sem facção, que são na verdade mendigos que ficam vagando pelas ruas em busca de um lugar pra dormir e comida.
O pessoal da Amizade usa roupas brilhantes como amarelo e vermelho, enquanto os da Abnegação usam roupas simples de tons cinza, para não chamar atenção para si. O Destemor usa preto, Sinceridade gosta de se vestir com preto e branco e os Eruditos usam azul. 
Beatrice não está feliz em sua facção, mas não faz ideia pra onde deve ser transferida, ela não consegue se decidir por uma única facção. Depois que seus teste dão resultados inconclusivos, ou seja, ela não se encaixou numa facção, ela descobre que é divergente. Divergentes são pessoas que não se enquadram no padrão, pensam por si mesmos e não podem ser controlados. Beatrice não entende muito do assunto, até então ela nunca tinha escutado essa palavra antes, mas segue as instruções que lhe são dadas e não conta seu segredo pra ninguém. Ela se decide por uma facção e tenta fazer parte dela.
Lá, na facção escolhida ela conhece Quatro, sim, esse é o nome do cara, ou melhor, esse é seu apelido, mais tarde iremos descobrir o motivo pra ser chamado assim. Fica um mistério sobre esse apelido e no final é revelado o verdadeiro nome dele, mas é simples descobrir, eu soube desde a primeira vez que o vi, já sabia quem ele era.
Quatro é o instrutor de iniciação de Beatrice e dos outros transferidos. Para fazer parte da facção escolhida, ao menos para essa que Beatrice escolheu, eles precisam passar por um teste barra pesada que pode até mesmo matar.
Beatrice troca de nome, ela podia escolher um que quisesse, pois quando são transferidos, tudo começa outra vez, você deixa de ser quem era, sua facção deve ser mais importante que sua família que meio que deixa de ser sua família, já que estão em outra facção. Então, ela resolve ser chamada de Tris, um nome mais forte, em meu ponto de vista.
Uma coisa que não posso deixar de falar, a escritora foi meio agressiva em certos ponto, não dizendo isso como uma coisa ruim, mas ela assassina seus personagens sem dó nem piedade, talvez isso esteja virando moda depois de Guerra dos Tronos, sei lá. Por isso, não se apegue demais aos personagens, nunca se sabe quando eles irão morrer.
Muita coisa acontece, muita coisa é revelada sobre os divergentes, muitos detalhes, muitos personagens e muita história começa a rolar, mas não posso ficar aqui falando sobre tudo, pois pode perder a graça pra quem ainda vai ler.
O livro te prende de uma forma que é quase impossível de descrever, fiquei alucinada, presa, simplesmente presa. E digo mais, talvez essa trilogia seja melhor que Jogos Vorazes. Não posso afirmar nada por agora, pois preciso terminar de ler os outros dois livros, minha opinião pode mudar, mas por hora, é isso que penso. Todos aqui sabem que sou louca por Jogos Vorazes, mas Divergente é igualmente emocionante, eletrizante, cheio de ação, com pessoas corajosas que enfrentam seus medos, se passa num mundo distópico, mas possui um elemento que quase não vemos em jogos vorazes, ROMANCE. Sim, romance, não aquela coisa muito melosa nem nada do tipo, mas as cenas gracinhas são maiores e aparecem com bem mais frequência do que em Jogos Vorazes. Como posso explicar? Não é nada mel derretido em manteiga, mas podemos ver os sentimentos de Tris. Digamos assim, Katniss não gostava de ninguém, por isso ela não tinha pensamentos bonitinhos sobre alguém, mas Tris possui esses pensamentos e eu como boa adoradora de romances, adorei. 
Quatro está sendo um dos meus mocinhos preferido, ele é muito perfeito, é fofo, mas também é durão, ele sabe ser as duas coisas, pessoa forte que não deixa seus medos aparecendo, mas também tem aquele lado sensível e uma voz incrível. (que por falar nisso, o ator que vai interpretá-lo, a voz dele é exatamente como imaginei que a voz de Quatro seria)
Ah, é muito amor, minha gente, é amor demais, estou parecendo aquelas pessoas doidas, querendo dizer pra todo mundo ler, querendo que todo mundo conheça a história, só pra poder ter com quem conversar sobre ela, pois ninguém que eu conheço leu e dificilmente alguém que conheço irá ler, já que são todos uns chatos que não gostam de livros.
Acho que morrerei enquanto espero março chegar, quero muito ver o filme, pelo trailer dá pra ver que muita coisa está igual ao livro, até mesmo as falas. Vi uma entrevista com o diretor, ele disse que nem tudo está igual e existem surpresas, estou enlouquecendo pra saber como ficou.
Bem, deu pra notar que amei, não é? Sim, acho que vocês perceberam. Então é isso, leiam, mas leiam com vontade e leiam logo, antes de ver o filme, vale muito a pena. 


PS-  eu com toda certeza do mundo e não existe outra possibilidade em minha vida, seria uma divergente. Sempre digo que não precisamos ser apenas uma coisa, pois podemos ser tudo, podemos ser quem quisermos ser e fazer de tudo um pouco, pra que ser um só se mil é bem mais legal?
Pois é, MAS se fosse obrigada a escolher uma facção, eu teria escolhido Destemor. Ok, parece doido, já que eu provavelmente apanharia até a morte, caso alguém quisesse me bater e eu espero que isso nunca aconteça, mas veja bem, eu nunca poderia ser da Abnegação, pois não sou tão altruísta assim, não penso tanto assim nos outros. Ok, sempre dou meu lugar para idosos, mas nunca me levantaria pra ceder meu lugar pra um adolescente de 14 anos, qual é, o ossos dele são mais novos que os meus. Nunca poderia ser da Sinceridade, pois isso significaria abrir mão de todos meus segredos e nunca, NUNCA dizer uma mentirinha, eu não sou perfeita e obviamente não sou sincera 100% todos os dias da minha vida e nem venha me julgar, você também não é. Jamais poderia ser dos Eruditos também, pode parecer doido, já que adoro ler e conhecimento e tal, mas eles são razão demais, nunca vão para o lado emocional a razão sempre fala mais alto e as coisas não devem ser assim. Sobre a Amizade, eu definitivamente não sou um elfo saltitante que está sempre feliz, em paz e afim de fazer amizades, não fico mudando meu humor pra agradar os outros ou tento ser amiga de quem não gosto, só pelo bem da paz. Ninguém é obrigado a ser amigo de todo mundo.
Então sobrou apenas Destemor, sim, tudo bem, eu entendo que não sou a criatura mais forte do mundo nem nada do tipo, mas eu sou corajosa, eu sou sim. Sou teimosamente insistente, nunca gostei que me dissessem que não posso fazer alguma coisa. Quando tinha 9 anos, sempre ia pra chácara de minha avó, lá nós tínhamos muitos cavalos, eu até tinha um pônei, mas ele morreu. Então, meu irmão ficava arrumando as comidas dos cavalos, capim triturado e um monte de outras coisas e os baldes eram enormes, muito pesados, meu irmão mais velho e primo sempre levavam a comida até os cavalos e eu odiava quando eles não me deixavam ajudar, diziam que era pesado demais pra mim. Um dia perdi a paciência e disse que eu mesma levaria, que eu aguentava o peso. Bem, passei quinze minutos tentando levantar o maldito balde e nada, ele nem ao menos se mexeu, então meu irmão veio com aquela cara de quem sabia que isso aconteceria, tomou o balde de mim e levou ele mesmo. Me senti o ser mais ordinário do mundo naquele momento, odeio não conseguir fazer alguma coisa, por isso acho que Destemor seria um lugar bom pra mim. E força não é tudo por lá, agilidade conta muito, ser espero e mira, ter mira é algo muito importante. É isso, mesmo sendo a facção mais cruel, difícil e aparentemente a menos parecida comigo, ela seria a minha facção, se eu não fosse divergente, o que obviamente eu sou.


PS 2 – Minha tatoo sobre livros, aquela que falei há algum tempo ainda não ficou pronta, não por minha culpa, mas por culpa de uma certa pessoa que mora comigo, a qual não quero mencionar o nome, mas estou encarando agora, mas tudo bem, a tatoo ainda vai sair e se tudo correr como esperado,(digo isso, pois preciso ler a trilogia toda e ver se continuo amando, as coisas podem mudar, muito embora eu ache que não mudarão) terei mais dois símbolos adicionados, sim, eu ainda nem fiz a bendita tattoo e já quero mais símbolos, o da Abnegação e o do Destemor, pois altruísmo e coragem são praticamente a mesma coisa, na maior parte do tempo. 

PS 3- só um pedacinho de uma cena, pois adorei, bem igual ao livro:


6 comentários:

  1. *0* São tantos livros e livros que existem por aí, que é quase impossível conhecer todos. Este mesmo eu nunca tinha ouvido falar, mas estou com uma curiosidade recém-nascida aqui. :p Gostei muito da cena do filme, finalmente meu inglês serviu para alguma coisa. U.U kjahkjshkajs. Espero ver o filme, se gostar, irei atrás do livro.

    ACESSO PERMITIDO: Primeiro texto fictício do Acesso Permitido.
    http://acessopermitidoblog.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah, é uma trilogia liiiiiiinda. Não é muito velha não. Recomendo muito que leia. :)

      Eliminar
  2. Eu já tinha ouvido falar e tinha uma certa curiosidade, apesar de não estar na minha lista dos mais aguardados. Só que depois desse post senti uma vontade imensa de lê-lo. Preciso! Só pela sua descrição de alguns personagens, me apaixonei, sério.
    Essa música do clipe... É Ellie Goulding? <3
    Bjo, Sel ;* | Jovens Gordinhas ♥

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah, Sel, leia sim, vou gostar de ler sua resenha. Tô esperando por ela em? kkk

      Não conheço a música, nunca tinha escutado antes. :)

      Beijooos :)

      Eliminar
  3. Nossa você realmente gostou do livro!? Não sei porque pensei que voce ia achar muito chatinho. Kkkk Do que me lembro, é um bom livro, mas não me deixou muito louco por ele. E gostei bastante da Tris e da Christina. E o que achou do Al e aquilo que aconteceu?
    Ahhh.... achei essas cenas de romance tão tontinhas.
    Que bom que gostou, e que conseguiu ler em um dia (quem me dera ter paciência).

    Até, Camila, ;) :).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu amei loucamente! kkkk
      Chatinho? Que nada, eu me apaixonei por ele.
      Sobre o menino que se matou, achei bem feito, se ele tivesse tentado me matar eu não teria perdoado e não sentiria nada quando ele se matasse. Sou realista demais e isso não se perdoa, acho que ele mereceu o final que teve.
      Ah, não diga isso, as cenas são fofas, adorei ler essas cenas. kkkkkk
      Na maioria das vezes leio os livros em um dia só, mas é que leio muito rápido e não consigo parar, não é nem coisa de paciência, pois ler é legal demais. kkk

      Até :)

      Eliminar

Adoraria saber o que você está achando do blog, e da postagem...