Traduzir

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

A Menina que Roubava Livros - Filme

Pessoal, estou de volta. Nem demorei tanto tempo assim, pois consegui dar uma agilizada nas coisas aqui em casa e a net chegou mais cedo do que o planejado.
Enfim, estou na casa nova, com algumas caixas espalhadas e várias coisas para guardar, mas estamos indo bem, já sei com funciona o processo de mudança e logo tudo estará em seu devido lugar, assim espero.
 Bem, preciso dizer, nesses últimos dias tive realmente certeza que amo livros, não que eu não soubesse disso antes, mas agora tive a prova, mesmo depois de ter ficado horas na estrada, de passar o dia todo desempacotando caixas, limpando móveis, fazendo mil e uma coisas, eu conseguia ler antes de dormir. Estava morta, nem mesmo parando em pé, mas assim que deitava na cama, procurava meu livro e lia ao menos alguns capítulos. Li “A Meninas que Roubava Livros”, demorei três dias num livro que provavelmente teria lido em um, mas como só podia ler antes de dormir e apenas algumas poucas páginas antes que o cansaço falasse mais alto... Enfim, eu li o livro e adorei, chorei até não aguentar mais, meu travesseiro ficou todo molhado. Logo depois, peguei o celular e fui ver o trailer do filme, eu já tinha visto antes, mas ver depois de ler é diferente, olhamos com outros olhos. Foi incrível, pois dessa vez eu conhecia os personagens e suas histórias, nem preciso dizer que fiquei louca pra assistir o filme, preciso? Pois é, foi isso que fiz, vi o filme hoje. Fiquei com um sorriso idiota no rosto quase o tempo todo, por mais que tentasse, o sorriso bobo não ia embora. Mas chega de falação, vamos logo fazer a resenha.
Ah, a resenha do livro também virá, mas vamos falar primeiro do filme, pois sei que muitos irão assistir em breve.


 Você já deve conhecer a história, não é? Acho difícil não conhecer, mas vamos falar um pouco sobre ela.
O livro é narrado pela Morte, e por falar nela, é adorável, sim, a Morte é adorável, ela sabe ser sensível e sentir pena, em alguns momentos ela mesma diz que está salvando as pessoas, ainda mais aquelas pessoas que se matam por querer viver. A morte é um personagem muito interessante, você vai gostar dela.
Iremos conhecer Liesel, uma garotinha que precisa se afastar de sua mãe comunista pra morar com uma família adotiva. O plano seria ela ir com seu irmão mais novo, mas o algo acontece no caminho e ela precisa ir sozinha.
Chegando lá ela conhece o pai e a mãe adotivos, o homem, Hans Hubermann, é a pessoa mais gentil e amável que conheci em toda minha vida, o homem mais bondoso do mundo inteiro, enquanto Rosa Hubermann é uma mulher... Difícil, é aquele tipo de velha rabugenta que mais fala palavrões do que qualquer outra coisa, mas que no fundo, beeem lá no fundo, não é tão durona e nem tão forte quanto aparenta ser.
Liesel precisa se adaptar a nova casa, enquanto a segunda guerra mundial acontece lá fora, enquanto Hitler domina o mundo com suas palavras.
Ela se torna amiga de Rudy, um garotinho que tem os cabelos da cor do limão (aqueles limões americanos, aqueles amarelos, não os limões verdes que somos acostumados) e olhos muito azuis.  Eu adoro esse garoto, adoro de paixão, é um dos personagens mais lindos que já vi.
Bem, não é sem razão que Liesel recebe o nome de ladra de livros, pois ela realmente faz isso. Ela não é uma doida que sai roubando tudo pela frente, só rouba quando já leu inúmeras vezes os livros que possui em casa ou então quando está triste demais, sempre há um bom motivo. E vamos combinar, acho que podemos perdoar uma pessoa por roubar livros, não podemos? Eu não me importaria de ter meus livros roubados por Liesel.
Muita coisa acontece na vida da menina, ela e os pais adotivos precisam guardar um segredo enorme, um segredo gigantesco, que poderia acabar com todos eles. O nome do segredo? É Max. Ah, Max, eu o adoro, sabia? Sim, ele é um cara interessante.
Não há muita coisa pra dizer sem soltar spoiler, mas tudo o que precisa saber é que o filme foi bom, não tanto quanto o livro é claro, os filmes nunca são, mas passou bem a mensagem desejada. Os atores são incríveis, Rudy estava perfeito, assim como Liesel e seus pais. O único ator que achei que não combinou muito com a pessoa que eu tinha mentalizado, foi o cara que fez o papel de Max, mas nem ao menos sei explicar o motivo.
O filme foi lindo, a voz da morte narrando a história foi perfeita pra mim. Algumas pessoas disseram que aquilo não é voz de Morte, mas se você leu o livro, sabe muito bem, a Morte disse que não é como as pessoas imaginam, que ela é mais normal do que você pensa e acho que foi isso que o filme queria passar com a voz aconchegante da Morte, pois no final das contas, todas aquelas pessoas “viveram” melhor, depois que a Morte as levou. Ela mesma dizia algumas vezes, “salvei você”, quando enfim uma pessoa corria pros seus braços. A Morte foi a vida de muitas daquelas pessoas, ela não foi uma vilã, longe disso, foi a salvadora.
Sobre o filme em si, eu gostei bastante, dá pra se emocionar e é um filme gostoso, quem não leu o livro vai gostar, mas acho que os que leram irão gostar ainda mais. Só tenho alguns pequenos comentários negativos, Liesel apanhou bastante no livro, mas no filme isso não aconteceu, acho que as cenas poderiam ficar um tanto quanto fortes demais, talvez. Outra coisa é que Liesel se sujava demais no livro e sua mãe sempre ficava nervosa com isso, no filme, a mãe sempre brigava por ela chegar “suja” em casa, mas esse é o problema, a menina nunca estava suja, estava sempre impecável, o cabelo perfeito, com apenas uns dois fios fora do lugar e três pontinhos de neve em cima da roupa, mas mesmo assim a mãe a chamava de porca imunda, no livro Liesel realmente ficava suja, ela chegava em casa pingando lama, qual o motivo pra não terem feito isso no filme?
E por último, esse é o pior erro em minha opinião, a cena que mais me chocou no livro, a cena que mais me emocionou e provocou avalanches de lágrimas, essa cena não foi mostrada no filme. Por quê? Por quê? POR QUÊ? Não posso dizer exatamente qual foi a cena, pois posso acabar com a graça de quem ainda irá ler, mas vou dizer que a cena envolve Max,  a primeira vez que Liesel o viu, depois de ter passado muito tempo longe. Sabem do que estou falando, não? A cena envolve uma fila de pessoas.
Mas é isso, o filme é ótimo e não decepciona, eu amei e com toda certeza irei assistir mais vezes.

PS – Sinto sua falta, Rudy! 
PS 2 - Esse comentário é bem desnecessário, mas irei fazer mesmo assim, achei os pais adotivos de Liesel muito parecidos com meus avós maternos. Não que minha vovó fale palavrão, acho que a pior coisa que ela disse foi "vai tomar banho na soda", mas a personalidade, enquanto ela é explosiva, fala alto, reclama, ele fala baixo, é muito, mas muito carinhoso. Lembro que ele me dava muito dinheiro quando eu era pequena e minha vó se irritava, dizia que uma criança não precisava ficar ganhando tanto dinheiro assim, então me lembro dele me dando dinheiro escondido e fazendo "shiu" com o dedo encostado nos lábios. Era quase como a piscadela que Hans dava pra Liesel... (Minha vovó é uma criatura adorável, só fiz uma pequena observação).

10 comentários:

  1. jhakjhsaskj. Sem comentários. Eu estou louco atrás desse filme, querendo ir muito ao cinema logo, mas meus amigos nem para me chamar servem. :p

    ACESSO PERMITIDO: Clicando. @nerdisbetter
    http://acessopermitidoblog.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  2. Gente, eu não sabia que já tinha o filme O.o (desatualizada, sim ou claro? eahueheua).
    Já ouvi falar muito bem do livro e quero muito ler.
    Seguindo.

    Beijos <3
    Fofuramentos - Fanpage

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Menina, como assim vc não sabia? kkkk
      Leia o livro sim, é lindo!

      Beijos :)

      Eliminar
  3. bom dia camila depois desta resenha me deu atê vontade de ler esse livro mas agora estou lendo a culpa é das estrelas (por sua culpa rsrsr) vc falou tanto q resolvi me render,um outro livro q tive curiosidade, mas ainda não li e a cabana, vc já leu? bjssssssss sandra.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Sandra.
      Ah, que maravilha saber que incentivei alguém a ler um livro, esse tipo de noticia faz meu dia.
      Lei A Menina que Roubava Livros sim, é um livro lindo!
      A Cabana ainda não li, é que vi a sinopse e não achei lá grandes coisas, mas talvez eu leia esse ano, nunca podemos subestimar um livro, né?

      Beijoooosss :)

      Eliminar
  4. Oi, Camila!!

    Há quanto tempo! rs
    E como você está na casa nova, gostando?

    Eu li A Menina Que Roubava Livros há 3 anos, é um dos meus livros preferidos! Lindo, divertido, emocionante! Juro que não consigo compreender como algumas pessoas dizem que o livro é chato. Dizem que esse livro é um daqueles casos "ou você ama ou odeia", mas ainda não entendo quem o odeia!

    Estou doida pra ver o filme, cheguei a sentir o gostinho... Fui ao cinema no sábado, mas não tinha mais lugares (só aquela primeira fileira em frente colada na tela, onde eu nunca sento)! Que bom que você gostou, espero que eu também adore. O que já me decepcionou foi não colocarem a cena do Max a que você se referiu. Qual é o motivo disso?! É uma das melhores cenas do livro!
    Gostei de saber no filme, assim como no livro, é a morte que narra a história! Eu pensei que fossem modificar isso...

    Ah, e preciso dizer que concordo com você: eu só vi o trailer, mas o Max também não é como imaginei! rs

    Beijão!

    Ps: também sinto saudades do Rudy! :(

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. *primeira fileira da frente

      *saber que no filme

      Eliminar
    2. Oi, Isabela, quanto tempo mesmo. :)
      Estou gostando da casa e da cidade nova sim, obrigada por perguntar.
      Também não sei como alguém pode odiar um livro tão lindo quanto esse, estou no time dos que amaram. kkk
      Sim, a cena do Max foi a melhor de todas no livros, fiquei triste não colocarem no filme,


      Um beijoooo :)

      Eliminar
  5. Gostei muito do filme e concordo com a sua resenha, Parabéns!
    Dá uma olhada na minha: http://blogcoisastriviais.blogspot.com.br/2014/02/resenha-menina-que-roubava-livros.html

    ResponderEliminar

Adoraria saber o que você está achando do blog, e da postagem...