Traduzir

domingo, 5 de janeiro de 2014

Cinquenta Tons de Liberdade


Para ler a resenha de Cinquenta Tons de Cinza clique AQUI
Se quiser ler a resenha de Cinquenta Tons Mais Escuros, é só clicar AQUI.

Antes de começar, quero dizer que esse texto está cheio de spoiler, assim como os outros dois da trilogia, pois a história é tão péssima que não tenho o trabalho de ter algum tipo de respeito sobre isso. 

Tenho duas notícias pra dar, uma boa e uma ruim. A ruim é que li o último livro da trilogia Cinquenta Tons de Cinza e a boa é que finalmente acabou.
Ah, me sinto livre, quase como se um peso tivesse sido removido das minhas costas. Sério, conheço algumas pessoas que ficavam falando que a trilogia é genial, que a escritora é isso e aquilo e que a história é incrível, eu simplesmente não conseguia ver nada disso, então eles me diziam que precisava ler os três livros e então tudo faria sentido.
Bem, eu li os três livros, mas é engraçado, pois as coisas ainda não fazem sentido, não fazem droga nenhuma de sentido, tudo continua a mesma porcaria que conheci no primeiro livro. Uma porcaria, mas uma porcaria com força, ruim com força, é de dar pena, dor no coração, vontade de gritar, pegar a humanidade pelos ombros chacoalhar até colocar vergonha na cara das pessoas e perguntar o que está acontecendo com o mundo, alguém por favor me diga, o que está acontecendo com o mundo?
Eu não entendo, não dá pra entender, como três livros tão ruins conseguem fazer tanto sucesso? Como uma escritora de merda, sim, estou ofendendo a moça mesmo, eu a odeio com todas as minhas forças, como ela consegue fazer uma coisa tão ruim assim e ficar rica? Me explica esse negócio, pois tá difícil de engolir.
Mais uma vez, repito, o problema não é o sexo, pra dizer a verdade o sexo do livro nem é nada de tão absurdo, já li outros livros eróticos e te digo, o sexo de Cinquenta Tons de Cinza é coisa de vovozinha se comparado. O problema é a escrita, a falta de história, a mediocridade, a pobreza de espírito e criatividade, é um monte de porcaria amontoada num monte de papel, pois pra ajudar, os livros são grandes, a escritora teve a coragem de prolongar suas porcarias em livros grandes.
Vamos por partes, a deusa interior da Ana continua com todo vapor, juro pra vocês, essa deusa interior nunca me irritou tanto, toda vez que a bendita aparecia, eu me lembrava daquele filme com a Hilary Duff, “Lizzie Mcguire”, se você já assistiu sabe do que estou falando, sempre que a Hilary fazia alguma coisa, uma bonequinha de desenho aparecia no canto da tela e se expressava de alguma forma, como se fosse a deusa interior da Hilary. No livro é exatamente assim que acontece, mas vamos combinar, esse é um livro adulto e erótico, não uma comédia adolescente, isso é ridículo.
O livro é tão terrível, lotado de Deus Ex Machina, o que é isso? Sabe quando estamos vendo um filme ou lendo um livro e alguma coisa acontece e você acha um absurdo? Quando algo forçado acontece e você se sente enganado? Um bom exemplo foi uma cena da série Diários do Vampiro, quando duas pessoas dentro de um carro caem no lago, então um vampiro aparece para salvar o dia, ele pula no lago, arranca a porta do carro, MAS ele só consegue tirar uma pessoa de cada vez, ou seja, ele acabou de arrancar a maldita porta do carro, ele é um vampiro, mas não consegue carregar duas pessoas até a superfície? É claro que ele conseguiria, uma pessoa normal conseguiria, eu conseguiria, mas a escritora forçou essa cena, pois ela precisava que um dos personagens morresse. Isso, meus queridos, é chamado de Deus Ex Machina, é apenas uma forma do escritor resolver um problema forçando um acontecimento.
Então, o livro é cheio dessas coisas, uma delas é tão ridícula, mas tão ridícula que dei risada. Veja bem, toda vez que Ana liga para Christian, ele atende no primeiro toque, TODA VEZ, mas quando o pai dela sofre um acidente terrível de carro e está em coma, ela tenta ligar para o maridinho, mas o coitado deixou o celular com a secretaria e ninguém sabe em que parte da empresa ele está, mesmo sabendo que há câmeras em cada bendito canto daquela empresa. Depois quando ela finalmente consegue falar com o marido louco, ele diz que não pode ir com ela, pois está muito ocupado, mas em três ou quatro horas ele estará livre. Sim, claro, quando o cara está em outro país em reuniões importantíssimas ele não se importa em voltar pra casa num jato, pois sua querida esposa não foi pra casa como ele ordenou e saiu para beber alguma coisa com a amiga e seus dois seguranças. O cara pega um jato pra ir pra outro país, só pra brigar com a esposa que não foi pra casa, mas quando o pai dela está quase morrendo, há, então ele está ocupado. Dá um tempo!
Se a escritora quisesse colocar essa cena dele não atendendo o telefone e não sendo encontrado, ela teria que ter construído isso antes. Ela devia ter feito Christian um cara esquecido, que nunca atende o telefone e que sempre está ocupado com a empresa, isso mostra o quão amadora é a escritora.
É frustrante, demorei 17 horas pra ler o livro (eu li no Kobo, por isso sei quanto tempo levou), pois eu não queria ler, ficava enrolando, demorava anos numa página, não queria ler, foi uma tortura, pra dizer a verdade.
Tá, outra coisa, o terceiro livro foi o pior de todos, não existe nenhuma história acontecendo, nada, não que existisse história nos dois livros anteriores, mas esse é de arrebentar, nada de nada acontece, só vemos um pouco mais do doente do Christian com a tapada da Ana.
É tão bizarro que numa cena do final do livro, ele bate nela com um chicote. Tudo bem, você deve estar se perguntando, ele não fazia isso nos outros livros? Sim, ele fazia, mas veja o detalhe, a mocinha está grávida e ele bate na barriguinha de grávida da criatura. Fiquei imaginando uma mulher com sua barriga de seis meses, presa pelos braços e pernas enquanto apanha de um chicote, corrijam-me se eu estiver errada, mas isso não me parece nem um pouco excitante (ou saudável).   
Ai, como isso me irrita, sinto vontade de bater em alguém, quando uma pessoa diz que gosta dos livros, sinto vontade de encher minha mão na cara dela e mandá-la ler algo que preste. Esse livro é tudo, menos romântico, por tudo que é mais sagrado, acordem e percebam isso, garotinhas de quinze anos, NÃO, não e não, isso não é romântico, vocês não devem desejar um louco como Christian como príncipe encantando, ele é doido de pedra, ele gosta de mocinhas morenas e branquinhas, pois elas se parecem com a prostituta da mãe dele, então assim ele pode espancá-las e livrar um pouco de sua raiva. Isso não é romântico, isso é doentio. Será que ninguém enxerga isso?
NÃO, eu me recuso, não consigo crer que as pessoas gostam dessa porcaria. Sabe quando algo não entra na sua cabeça? É demais pra mim, parece que as pessoas foram possuídas, estão cegas.
Mais uma vez, não é nada contra livros eróticos e nem com chicotadas e tudo mais, é sobre a escrita, a falta de história e a forma como a escritora força os fatos. Numa cena, Ana está com cada pulso amarrado aos tornozelos, imagine a cena, pulso direito preso no tornozelo direito, pulso esquerdo preso no tornozelo esquerdo, ela pelada, deitada e toda arreganhada enquanto faz sexo com seu príncipe, ok, imaginou a cena? Tá, então no dia seguinte ela acorda assustada e corre pra pegar o roupão e cobrir seu corpo, dizendo que é tímida demais... O inferno! O inferno que você é tímida, minha filha, noite passada estava toda sei lá o quê e no dia seguinte corre pra cobrir o corpinho alegando ser tímida? Me engana que eu gosto, safada!
Viu? É frustração em cima de frustração, não dá.
Eu fiquei nervosa só por escrever a resenha, o nome do livro me deixa nervosa, o som do nome dos personagens me deixa nervosa, acho que posso ter um ataque do coração, mas acima de tudo, me sinto triste, sim, triste, pois não é isso que eu queria para o mundo. Tanto livro bom, tantas histórias de tirar o fôlego, e esse povo idolatrando uma escritora de merda por causa de três livros de merda. É triste pra caramba, me sinto péssima e de mãos atadas, quando foi que as coisas ficaram tão ruins assim? O que foi que eu perdi?

Ah, vou parando por aqui, isso não está me fazendo bem, vou postar esse texto e ir fazer um pouco de chá e tentar esquecer essa história, tentar banir Christian Grey e Anastasia Steele, ops, agora é Anastasia Grey de minhas memórias, como se nunca tivesse existido. 

PS - Cinquenta Tons de Liberdade? Sim, nome mais que perfeito, me sinto liberta em cinquenta tons diferentes, finalmente acabou! 

12 comentários:

  1. Minha teoria pra tanta gente ler esse livro é que existe tanta publicidade negativa em cima dele que as pessoas ficam curiosas pra pra saber se é tão ruim assim mesmo; pelo menos esse é o meu caso, apenas reluto em ler porque eu leio devagar e são três livros grandes que me tomariam um tempo precioso de ler algo que eu realmente queira muito.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, é isso, eu mesma fui ler o livro por esse motivo, mas depois que li o primeiro vi que era uma droga e só li os outros por causa do blog.
      Sabe, o problema não é ler o livro, o problema é ler o livro e não odiá-lo com todas as forças, as pessoas gostando dessa porcaria, isso é o que está errado.

      Eliminar
  2. Agora você tem todo o meu respeito e admiração. Todos os três livros? Sério que você conseguiu isso? Não sei se te parabenizo ou se sinto pena. Mas, falando sério agora, não entendo toda a história em cima desse livro. Para mim, não passa de uma obra muito mal feita. O sexo, como você disse, não é nada demais, já li coisa mais forte em livros comuns (não eróticos); tá certo que eu só li uma cena de sacanagem, mas, até onde eu sei, são todas iguais, né? Foi o que eu ouvi. Só que eu não consigo me frustrar com a existência da E. L. James. É verdade que existem milhares de autores com talento e que nunca vão ser lidos, enquanto ela não tem onde enfiar todo o dinheiro que ela ganhou com essa tragédia, mas foi como ganhar na loteria. Vai por mim, ela nunca mais vai escrever de novo, e, se escrever, ninguém vai ficar sabendo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Kkkkk acho que pode parabenizar e sentir pena ao mesmo tempo, eu fiquei com pena de mim por ter conseguido ler. Foi difícil! Que livrinho mais chato.
      Sim, as cenas de sexo são todas parecidas e acabam assim, num piscar de olhos, a cena começa e logo termina, eles ficam dois minutos fazendo as coisinhas e pronto.
      Olha, a escritora me frusta sim, conheço tanto escritor bom que não é reconhecido, tanta gente brasileira que escreve coisas incríveis e ninguém sabe, isso me deixa com raiva, me irrita muito.
      Tomara que vc esteja certo, espero que ela não escreva mais nada, pois fico pensando que as moças que a idolatram iriam adorar mais livros desse tipo. :(

      Eliminar
  3. KJHAKJSHKJAHKJSHKAJHKSJ. Estou apaixonado por essa resenha. Sério. Eu comecei a ler "Cinquenta tons de cinza" e simplesmente larguei o livro na página 21. Imprestável. Ridículo. A escrita é horrorosa! Eu te entendo completamente, como essa mulher ficou rica escrevendo essas porcarias?

    ACESSO PERMITIDO: Antítese.
    http://acessopermitidoblog.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é, o livro é mesmo imprestável e terrível!!!

      Eliminar
  4. Oi Camila..
    Eu estou com os dois primeiros livros em casa e até agora não peguei para ler.
    Muitos falam mal do livro e alguns falam bem. Estou dividida e preciso ler logo para ver o que acho. Fico curiosa principalmente quando alguém não gosta, e diz que detestou como você, que ver essas coisas horríveis que falam..rs

    beijos
    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderEliminar
  5. Kkkkk segura na mão de Deus e vai... kkkkk

    ResponderEliminar
  6. Nao sei nem o que dizer dessa porcaria de livro. Ja li as primeiras páginas, e só, não continuei porque tinha baixado em pdf e estava lendo no pc só pra conferir. E simplesmente nao passei das primeiras páginas. Apesar de nao gostar de ler no pc se o livro fosse bom pelo menos iria me dar vontade de comprar. Não gasto dinheiro com isso se for ler um dia vai ser por meio do Jack Sparrow, kkkk.
    Concordo com você comtanto livro bom pra se ler porque as pessoas conseguem admirar uma porcaria dessa.

    Até, Camila. ;) :).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é, eu não entendo as pessoas e fico triste com isso. Mas não perca seu tempo lendo esses livros mesmo, são ruins demais. Até :)

      Eliminar
  7. Acho que essa foi a melhor resenha (e verdadeira) desse livro. Eu li alguns capítulos do primeiro, e fui forçada a ler os outros dois para verificar um plágio no site que eu modero. Tive tanta vontade de socar o monitor, tão ruim e deprimente que é a história.
    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada! Foi verdadeira mesmo, coloquei toda minha raiava nesse texto. kkkk
      A história é muito boba e ruim, dá vontade de chorar. kkk

      Beijos :)

      Eliminar

Adoraria saber o que você está achando do blog, e da postagem...