Traduzir

quinta-feira, 24 de abril de 2014

Cinder

Como prometido, resenha escrita e em vídeo. Agora é só escolher a melhor opção pra você!


Sinopse 

Num mundo dividido entre humanos e ciborgues, Cinder é uma cidadã de segunda classe. Com um passado misterioso, esta princesa criada como gata borralheira vive humilhada pela sua madrasta e é considerada culpada pela doença de sua meia-irmã. Mas quando seu caminho se cruza com o do charmoso príncipe Kai, ela acaba se vendo no meio de uma batalha intergaláctica, e de um romance proibido, neste misto de conto de fadas com ficção distópica. Primeiro volume da série As Crônicas Lunares, Cinder une elementos clássicos e ação eletrizante, num universo futurístico primorosamente construído.



Sempre achei a capa desse livro linda, mas linda demais, linda de doer e sempre achei a história de uma mocinha ciborgue incrível e totalmente diferente, mas não sabia que o livro se tratava de algo inspirado na história da Cinderela. Tá, estou vendo o sapatinho na capa e dãn a menina se chama Cinder, ok, tá tudo na cara, mas eu não tinha percebido. Só quando fui procurar um pouco sobre a história que descobri que se trata de uma série de livros, "As Crônicas Lunares". São vários livros que foram inspirados em personagens de contos de fadas.

No começo, você pode até nutrir um pensamento meloso, achando o livro irá falar de amor, que o príncipe encantado irá se derreter por Cinder, a menina ciborgue, e que músicas da Disney começarão a tocar em sua cabeça, mas então eu lhe digo, meu caro, esqueça todo esse papo, pois o que irá ler, não se parecerá em nada com um conto de fadas.
Sim, achei que iria me deparar com beijos sob o luar,  brilhos, luzes, sonhos, vestidos lindos e sapatos brilhantes, mas não foi nada disso e por incrível que pareça, se tivesse sido, não seria tão bom quanto foi.
Pareci confusa? Talvez um pouco, mas deixe-me explicar melhor, a história foi sim baseada na Cinderela e podemos ver claramente onde os pontos se ligam, temos uma garota adotada aos 11 anos, o padrasto que a trouxe pra casa morrendo e a menina ficando com a madrasta malvada e duas terríveis irmãs, bem, uma irmã é má, a outra não. Acho que a autora andou vendo a Cinderela dois, pois se você, assim como eu, também assistiu, sabe que uma das irmãs se torna boa no filme 2 e 3, pois é.
Temos Cinder sendo "escrava" da madrasta, trabalhando o dia todo, também temos um belo príncipe, que não é encantado, mas ainda sim, um príncipe. Podemos ver a abóbora que leva Cinder até o baile, mas no caso, não estamos falando necessariamente de um legume, só estamos fazendo referências. 

Você também descobre quem seria a fada madrinha e todo o resto, sem me esquecer de Iko, uma robô com um estilo totalmente peculiar.
Então, como disse, podemos ver claramente as semelhanças, mas a história em si, os fatos, é tudo diferente.
Cinder nunca se tornará uma dama, está sempre suja de graxa e suas partes mecânicas estão sempre lá, nos lembrando que ela não é nada perfeita. Sua vida é um desastre, nada dá certo, nada funciona pra ela. 
A garota trabalha como mecânica e num certo dia, o famoso príncipe Kai aparece em sua humilde lojinha, ele precisa que ela concerte seu robô, pois soube que era umas das melhores mecânicas da região. Cinder fica encantada com o mocinho, mas sabe que de nada adianta nutrir sentimentos, pois ela é uma ciborgue e sabe que nenhum humano iria querer algo com ela. Mas mesmo assim ela esconde isso de Kai, deixa que ele pense que ela é humana, sempre usando uma luva suja de graxa, cobrindo sua mão cibernética e sua perna e pé de metal.
Ah, não posso me esquecer de contar sobre o incrível universo que a autora conseguiu criar, não é perfeito, tenho que admitir, mas é fascinante. 
Pra mim, o livro pecou em um aspecto, a previsibilidade, logo no inicio, na página 20, ou perto dela, eu já tinha sacado o final, sabia o que acontecerei e isso me fez ficar irritada, achando que seria aquela besteira enorme e que o livro seria muito ruim, MAS e fico muito feliz em dizer que existe um Mas, não foi bem assim. O que previ, realmente aconteceu, mas outras coisas também aconteceram e a forma que ela formou toda a história e juntou os pontos importantes fez toda a diferença. Até me atrevo a dizer que, talvez a escritora tenha deixado esses fatos prevíeis propositalmente, pra você pensar que a história seria uma chatice e depois pudesse rir na sua cara. 
Nossa, ainda nem falei sobre o povo lunar, claro, esse é nome das crônicas. Existe um povo que mora na lua, sim, é estranho, eu sei, mas eles vivem lá. Esse pessoal possui um tipo de poder da mente, controlam a visão das pessoas, fazem alucinações, podem mudar o que você vê para o que eles querem que você veja, incluindo sua aparência, que até então é desconhecia, pois eles se apresentam como pessoas lindíssimas, mas ninguém nunca viu sua verdadeira forma. Eles nunca ficam diante de espelhos e nunca permitem que  espelhos ou objetos que refletem estejam por perto, pois não dá pra manipular esse tipo de coisa e as pessoas veriam como realmente são. Então, existe uma rainha lunar e ela está ameaçando a Terra e quer fazer uma aliança com príncipe Kai, mas nenhum terráqueo quer se misturar com esse povinho lunar, que é conhecido por ser mais do que cruel e bla bla bla. Parece confuso, não? Mas quando se está lendo o livro, as coisas se encaixam e fazem sentido, prometo.
O ponto legal e acho que mais importante, é que não se trata de uma história de amor, isso mesmo, não estamos falando de uma HISTÓRIA DE AMOR. Existe sim um fiapo de desejo entre o príncipe e Cinder, mas nada pra se preocupar, não dá nem pro cheiro. Nenhuma cena quente, nenhum romance, nadica de nada e mesmo eu, que faço parte dos românticos incorrigíveis, posso dizer com toda certeza que a história foi incrível por isso. Foi baseado num conto de fadas, mas isso não o transforma em um, definitivamente.
Cinder é corajosa, determinada, forte e eu a adorei. 
Ah, mas um detalhe, prepare-se para um final frustrante. Quando fui ler, pensei que cada livro seria separado, cada livro uma história, mas não, os livros são interligados, uma história acaba invadindo a outra e o caminhos dos personagens vão se cruzar. Isso foi bom, pois o livro acaba totalmente inacabado, e eu pensando que era só isso, já estava surtando, então comecei minha pesquisa e descobri que mesmo o segundo livro, se tratando de uma história baseada na Chapeuzinho Vermelho, iremos ter a continuação de Cinder. Fiquei meio triste, pois gostei muito de Cinder e queria que ela fosse a principal novamente, mas minha mente está aberta e estou louca pra ler a continuação.
É isso, agora irei não apenas pedir, mas ordenar que você leia o livro e depois venha comentar algo comigo, pois não há nada pior nessa vida do que ler algo legal e não poder discutir com ninguém. Me ajude!

9 comentários:

  1. Poxa, fiquei realmente tentada a ler. Vou ver se encontro pra ler, parece incrível!
    Sel do Jovens Gordinhas ♥

    ResponderEliminar
  2. Já tinha visto esse livro, mas ele não tinha me chamado a atenção. Quando li a sinopse,pensei que seria mais do mesmo, mas pela sua resenha, parece que a autora foi bem original em sua adaptação. Fiquei curiosa... Vou tentar encontrar para ler. :)
    Beijos,
    Niki,
    http://www.meigaemalefica.blogspot.com

    ResponderEliminar
  3. Que bom que você gsotou dele, é tão legal quando ficamos doidos por um livro. Mas infelizmente eu não vou poder conversar sobre ele, pelo menos por enquanto, pois não consegui me interessar pela estória. Talvez por ser um livro mais para garotas. Achei bem blah! os rumos que esse livro parace ter. Mas é aquilo, que bom que você gostou, quem sabe eu acabo lendo e gostando.

    E parabéns por essa resenha que foi uma das mais perfeitas do blog. E o video ficou muito extrovertido e engraçado.

    Até mais Camila! :P :).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, mesmo não tendo romance, ainda penso que seja um livro mais para garotas.
      Eu tbm gostei da resenha. kkkk

      Eliminar
  4. Eu! Eu converso sobre ele, Mila! Eu li Cinder logo que lançou e desde então morro por alguém para conversar sobre ele! Hahaha Eu sei do que você disse sobre a previsibilidade, mas eu fiquei tipo... não, ela não entregaria o final assim. E acabou que era tudo bem mais complexo do que minha cabecinha terráquea jamais imaginou. Estou na beira do abismo enquanto Scarlet não chega. :(

    ResponderEliminar
  5. Adorei, simplesmente adorei! Não só a resenha, mas o seu jeito. Menina você é carismática demais. Parabéns! Quanto ao livro, também adoro releituras, então quando elas são adaptadas melhor ainda. Lembrei-me agora dos Dragões de Éter que são releituras misturadas assim também e ficaram muito bons! Outro que é uma releitura e foi adaptado é o João e Maria - Caçadores de Bruxas, nossa ficou muiiiiiito bom realmente! kkkkk Já divaguei! Bom, fiquei louca para ler o livro, mais um para minha listinha (uns!). Bjoks da Gica.

    umaleitoraaquariana.blogspot.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Giane.
      Muito obrigada, fico feliz em saber que gostou da resenha e de mim. kkk
      Beijos ;)

      Eliminar

Adoraria saber o que você está achando do blog, e da postagem...