Traduzir

terça-feira, 8 de abril de 2014

Era só o que me faltava!


Não basta todos os problemas que temos na vida, todas as tarefas, preocupações, todos os infernos e pepinos que precisamos resolver, nada disso é o bastante, você ainda precisa de um doido correndo pelas ruas, enquanto distribui AIDS com uma seringa.
Sim, olha que loucura, hoje recebemos uma informação pelo rádio que um homem vestido todo de branco, está se fingindo de enfermeiro, pra poder passar AIDS pras pessoas. Ele aparece na sua casa, diz que precisa fazer um exame de sangue, algo assim e te transmite a doença.
Era só o que me faltava.
Eu já ando paranoica com esse negócio de estupro, a coisa está séria, não consigo sair um dia de casa sem receber cantadas baratas ou comentários imundos pelas ruas, estou até querendo comprar um spray de pimenta. Qualquer barulhinho que escuto em casa, logo penso, "oh, deve ser um estuprador". Pois é, isso não é saudável, mas já até fiz meu plano de fuga e de como me esconder ou me defender numa situação dessas.  Sempre fiz planos de fuga para o caso de um ataque zumbi e isso sempre foi muito natural pra mim, mas ter que planejar uma forma de escapar de um estuprador? Isso já é demais!
E agora mais essa, um doido correndo com uma seringa na mão.
Eu preciso fazer caminhada, lembram daquela conversa sobre a futura corcunda? Então, não posso ser sedentária. Eu caminho todos os dias, aproveito que preciso buscar meu filho na escola e já faço minha caminhada. Mas como irei buscá-lo caminhando, sabendo que um maluco está solto por aí? 
Terei que buscá-lo de carro, mas isso muda toda a minha rotina.
Estou tão alucinada que fico olhando pela janela da sala, tentando ver algum movimento estranho do portão.
Pensei em caminhar com meu cachorro, que é um rottweiler de um ano e meio, mas ele é tão bobo que não acho difícil que saia correndo e me abandone com o maluco da seringa. 
Fico imaginando a cena, como escapar de um homem assim? Eu não corro muito rápido e eu caio muito, sou estabanada e desastrada demais, se eu ver um homem todo vestido de branco na rua, já posso declarar meu fim, não há maneiras de fugir. 
É por isso que eu gosto de livros, se isso fosse uma história eu provavelmente faria algo mirabolante e incrível e o cara da seringa nunca me pegaria.
As pessoas normalmente acham que as coisas nunca irão acontecer com elas, mas eu, nos últimos tempos, acho que tudo irá acontecer comigo.
Andei lendo e vendo muitas reportagens esses dias, talvez isso tenha aumentado minha paranoia, ou talvez eu não esteja tão paranoica quanto imagino e a situação esteja realmente tão feia quanto penso estar. 
Que mundo é esse? Todo mundo está ficando louco! 



12 comentários:

  1. Eu só tenho uma palavra pra isso: " Vish!" kk, não agora sério... realmente as coisas andam completamente loucas, e no pior sentido da coisa. o Brasil sendo como ele é, vive tapando buracos, e o governo transparecendo para as pessoas que violência, crimes, e má fé é algo comum no país. obvio, de certo modo é mesmo, mas quando agente repara nos níveis de criminalidade em países "culturalmente" desenvolvido, as coisas são diferentes e eu ainda não engulo essa de que por sermos um pais emergente não consigamos revitalizar as estruturas; o problema sempre está pela raís, a partir do momento que uma sociedade aceita um evento esportivo superfaturado, reclama aqui e alí, mas deixa por isso, ela dá espaço para que qualquer outras coisas sejam permitidas, as pessoas passam a achar corrupção normal, passam a conviver com a violência, como se estivéssemos num filme distópico, onde você pode morrer virando a esquina se não tiver um taco de madeira nas mãos... sinceramente ou damos um jeito urgente na nossa mentalidade do que deveríamos aguentar, ou daqui pra frente uma guerra civil vai ser estabelecida, onde a própria população vai caçar os criminosos, já que quem deveria fase-los, não vem tendo lá muito sucesso, vai ser um banho de sangue...

    ResponderEliminar
  2. Sorry pela dissertação Camila... Mas é muito revoltante saber que temos que ficar nos adaptando ao caos do dia a dia, isso nunca deveria acontecer, o saldavel não é estar pronto para a violência, o saudável era que tivéssemos uma sociedade com punição devida, para que ela não fosse uma constante. Mudando de assunto, camila, sem querer eu acabei retirando a aba de parcerias do meu blog e não sei mais como colocar novamente kk, se você puder me judar, e também me enviar novamente a url do seu blog eu agradeço... não exclui você por maldade, é porque sou tonto mesmo. kk :-p

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Bruno. Já respondi pra vc la no seu blog. :)

      Eliminar
  3. Vou ser honesto com você, ultimamente eu tenho ficado é um pouco hipocondríaco até! Eu conheci um rapaz com AIDS e pode parecer preconceito, mas tentei evitar qualquer tipo de contato, principalmente porque no dia ele estava com o dedo cortado. Eu morro de medo dessas coisas, e na minha opinião isso o que aconteceu é um absurdo, eu não tinha ouvido ninguém dizer nada sobre, mas um absurdo sem dúvidas!

    ACESSO PERMITIDO

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não se misturar com pessoas que tenham AIDS é preconceito, mas se ele estava com o dedo cortado, te entendo.

      Vc não escutou sobre o assunto, pois está acontecendo aqui na minha cidade.
      Que loucura!

      Eliminar
  4. Quando agente pensa que ta dando uma melhorada só vemos notícias cade vez mais absurdas e inacreditáveis. O que uma pessoa dessa tem na mente? Sinceramente, uma pessoa assim deveria ser internada porque não está bem das idéias. Eu já sou amedrontado por natureza, já tenho uma leve ansiedade, não preciso de algo pra me enlouquecer mais ainda, não é mesmo?

    Até Camila! :P :).

    ResponderEliminar
  5. Olá Camila, vi a capa e a sinopse do seu livro, muito lindas viu! Vou começar a ler os seus livros. Bom, não é só você que anda paranoica com isso, aqui onde eu moro, está uma onda de assalto que tá um horror, então eu já estou realmente paranoico. Tem post novo lá no blog, passa lá tem post novo.
    Abraços,
    J. A. Santos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada!

      Vou passar em seu blog sim, pode deixar. :)

      Eliminar
  6. Oi, Camila. Que loucura! Ainda não sabia dessa história... Eu sou meio paranoica com pessoas na rua também, mesmo que a região da cidade em que eu moro seja tranquila. Com relação ao seu cachorro, muitas vezes a própria visão do cachorro já assusta. Eu tenho um vira lata que se parece muito com um pitbull, mas é doce e medrosa. Quando passeio com ela, as pessoas passam longe, mesmo que ela não tenha postura agressiva. Mas você pode tentar adestrá-lo, também, se espera que ele afugente alguém que quer te atacar... Enfim, é um horror que precisemos nos preocupar com essas coisas. :/
    Abraços!

    ResponderEliminar
  7. Escrevi um comentário, fechei a página antes de publicar (não tenho explicação lógica pra isso). Vamos ver se agora eu consigo fazer isso direito.
    É o país tá explodindo. Não sei bem o que vai acontecer, se o resto do mundo tá desse jeito, se sempre foi assim e é o povo que tá começando a reparar. Não sei. Também não sei o que fazer. É difícil encarar o fato de que nós vivemos em uma sociedade em que é necessário fazer uma pesquisa de opinião referente ao estupro, como se ser a favor fosse aceitável. E esse cara tentando passar AIDS pra todo mundo...não, não tenho nada a dizer. Nada mesmo. O que eu teria a dizer, não vou dizer, porque não quero ter que encarar o fato de que é necessário dizer coisas tão óbvias.

    ResponderEliminar

Adoraria saber o que você está achando do blog, e da postagem...